É verdade que ninguém gosta de saber que possui uma dívida longa pela frente, por isso, muitas pessoas apostam em quitar os débitos à vista. Mas será que essa opção é indicada em todas as compras?

No ato da compra é preciso levar em consideração algumas questões, são elas:

  1. Qual valor total da aquisição do produto à vista, se possui desconto e cabe no orçamento;
  2. Qual o valor total da compra parcelada, se possui juros e quantas parcelas serão necessárias para quitá-la.

Com essas informações será possível ter uma dimensão melhor de qual forma de pagamento escolher. Especialistas dizem que, de forma geral, o pagamento à vista é mais vantajoso quando o consumidor possui o dinheiro em conta. O ideal é ter uma reserva de emergência com valor igual ou superior para não ficar sem renda. 

Já o pagamento parcelado é indicado às pessoas que possuem bons hábitos financeiros, ou seja, quem consegue poupar dinheiro e pagar as contas em dia. Caso contrário, o valor da compra pode ficar bem mais alto que o inicial com os juros de atraso.

Uma boa notícia é que, ao usar o cartão de crédito, o comprador pode acumular pontos e revertê-los em benefícios – passagens aéreas, experiências em restaurantes e hotéis, etc. Essa opção vale tanto para as compras à vista quanto à prazo.

Concluindo, é necessário que o consumidor seja realista com as próprias finanças e avalie qual a melhor forma de pagar o produto ou serviço adquirido. As duas opções possuem seus prós e contras para cada situação, portanto dependem de cada caso.