Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda”, (Mateus 7.24 a 27).


Recentemente, ouvi um depoimento de um médico que trabalha em uma ala de UTI em Curitiba/Pr, sobre um homem de muita condição que disse a seguinte frase: “Eu tenho posses suficientes para comprar dois hospitais, mas não consigo um único leito de UTI para a minha mãe, uma senhora afetada gravemente pelo Sars Covid-19”. Este é o retrato fiel da condição humana e dos seus aspectos e méritos interventivos ou preventivos mediante à Pandemia que alcançou o mundo desde o final de 2019 e persiste até o atual Março 2021.

Em nossa matéria de capa, falamos sobre como vencer os efeitos da pandemia.

A pandemia abalou o mundo inteiro e passou como um tsunami, devastando todas as esferas emocionais, econômicas e, principalmente, as vertentes da saúde. Não há quem possa se proteger: pobre ou rico, alto ou baixo, sedentário ou atleta, empresário ou assalariado, não há um único indivíduo em condição favorável, de qualquer tribo, que possa dizer: “eu não posso ser atingido de maneira alguma”. 

A humanidade se viu envolvida em uma enorme convulsão social, onde nações se juntaram a todos os recursos científicos possíveis na corrida contra o tempo. 

Na corrida pelo “livramento” estão presidentes, líderes mundiais, os maiores cientistas e toda a ciência, que mesmo com todos os seus avanços, não pode ser resposta imediata para o medo e a luta contra várias doenças. Ou seja, os recursos humanos, por maiores ou mais avançados que sejam, são ainda insuficientes. 

O que nos desafia a olhar para algo além do homem e que é maior que o homem, maior que a ciência, não só maior como o dono de toda ciência e sabedoria. 

 

“Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro?
Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”, (Romanos 11:33 a 36).

 

Ele é o Senhor, o Deus Eterno Criador é a Rocha Inabalável na qual devemos construir toda nossa vida. O Homem precisa de Deus, depositar sua esperança em algo que é sólido. Exatamente como apontado pelo Messias em Mateus 7, no Sermão da Montanha.  Aqueles que se apoiam em coisas passageiras e terrenas são facilmente frustrados e derrotados, mas aqueles que constroem sua esperança em Cristo, a Rocha Eterna, nunca serão abalados, ainda que os maiores ventos, tempestades tentem agitar as suas estruturas.

O Homem precisa voltar seus olhos a Deus e O reconhecer como o Senhor todo poderoso, tal quanto Criador e Redentor, Senhor e bom Pastor. 

Ter um relacionamento com Deus, ter comunhão com Deus é mais do que ter mais um estilo de vida para desfrutar ou experimentar. Deus não é a esfera religiosa da sua existência, antes pelo contrário, Ele é a razão prima pela qual você veio a existir, e não somente passar por esta Terra, mas com um propósito original sonhado e ordenado pelo próprio Criador. 

Devemos reconhecer o Senhor em todos os nossos caminhos. Vivemos para a Sua glória e somente no centro da Sua vontade, você encontrará paz, porque Ele é o príncipe da Paz.

 

“Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas”,.(Provérbios 3:5 e 6)

“E o Deus de paz seja com todos vós. Amém”, (Romanos 15:33)

“Ora, o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira. O Senhor seja com todos vós”, (II Tessalonicenses 3:16).

Mas os ímpios não têm paz, diz o Senhor”, (Isaías 48:22).

 

E para quem é destinada esta paz? Para aqueles que crêem no seu nome. Uma separação clara que a Bíblia faz entre os ímpios e justos, filhos e bastardos. O Convite de Jesus é para que todos sejamos reconhecidos pela nossa filiação. E juntos proclamarmos Aba (Pai). Por isso, aqueles que o recebem têm o poder da provisão, o poder da reconciliação, o poder do perdão de Deus e do cuidado diário de Deus. 

O senhor tem poder para curar, restaurar, renovar, capacitar e instruir e também para ser ajudador e consolador no dia mal, é palavra sua de que ainda que andássemos no vale da sombra da morte, não precisaríamos temer mal algum, porque Ele estaria conosco. Por isso, quando o anjo visita Maria, as suas palavras são: “Maria, quão agraciada você é porque dará luz a um menino chamado Jesus, porque Ele será o Salvador de todos os homens e também será chamado Emanuel, que significa Deus conosco”.

O melhor lugar para a nossa alma é a Rocha Eterna. Assim como o salmista no Salmo 121 proclama:

Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra”, (Salmo 121:1 e 2)

Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel”, (Salmo 121:4).


O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre”, (Salmo 121:7 e 8)

 

Aquiete seu coração e deposite sua esperança no lugar certo!

 

“Este é o Deus cujo caminho é perfeito, a palavra do Senhor é comprovadamente genuína. Ele é um escudo para todos que nele se refugiam”, (Salmo 18:30).

 

Por: Leonardo Estrella

35 anos
Formado em Comunicação Social
Pos graduado
Marketing e comunicação
Estudou teologia no Centro de Treinamento Diante do Trono – CTMDT e curso básico de teologia do Martin Bucer
Pastor Sênior da lagoinha Nova Granada