Uma pesquisa recente divulgou uma mudança drástica na vida espiritual do estadunidense. Atualmente, menos de 50% da população frequenta a igreja no país conhecido por ter o maior número de cristãos em todo o mundo.

Apesar da maioria afirmar acreditar em Deus, as igrejas cristãs, protestantes e católicas, têm visto a quantidade de membros diminuir consideravelmente. O relatório da empresa Gallup também inclui sinagogas e mesquitas na pesquisa, revelando um total de apenas 47% da população frequentando templos religiosos.

Outros dados mostram a mudança no comportamento do americano. Cerca de 70% deles declararam pertencer a uma igreja na década de 90. Em 2019, no entanto, esse número caiu 20%. A primeira medição ocorreu em 1937, quando 73% dos norte-americanos disseram ser membros de alguma congregação. O número se manteve perto disso, como vimos, até as seis décadas seguintes.

Esse fenômeno ocorreu, segundo os pesquisadores, porque o número de pessoas sem preferência religiosa aumentou. Os dados sugerem que o fator está relacionado, principalmente, à transição das gerações. A chamada geração X, que nasceu em meados da década de 1960 até 1980, possuía 50% da população frequentando a igreja – enquanto 66% dos adultos nascidos até 1946 participavam de alguma congregação.

Entre a Y, dos nascidos até 1994, o número desceu para 36% e permanece equivalente na geração seguinte (Z). De acordo com a pesquisa, as gerações mais jovens estão cada vez mais distantes das tradicionais. 

Outra razão é que “a cada ano, as gerações mais jovens constituem uma parte cada vez maior de toda a população adulta dos Estados Unidos”, diz a pesquisa. Essas pessoas, portanto, acabam deixando os templos e não levando a prática de culto adiante, resultando na secularização do país a cada virada de década.

 

O grupo religioso que mais perdeu adeptos

 

É importante ressaltar que, o declínio na membresia eclesiástica é mais acentuado entre os católicos. O número caiu de 76 para 58%, um total de 18 pontos a menos. Entre os protestantes, a diminuição foi de 9 pontos, caindo de 73 para 64%.

Uma curiosidade sobre o grupo protestante é que, entre conservadores políticos, republicanos, adultos casados ​​e graduados universitários, a diminuição é proporcionalmente menor. Isso quer dizer que pessoas com essas características tendem a permanecer na igreja.

Entre outras religiões, a Gallup informou não possuir dados suficientes para analisar suas transformações.