Planejar uma viagem nem sempre é uma tarefa fácil. Orçamento, cronograma, os melhores locais para se hospedar e comer, são algumas das preocupações que um viajante deve ter na hora de colocar o pé na estrada (ou no avião).
Nesta edição, quero deixar algumas dicas práticas para facilitar a vida de quem não tem muito costume com esse planejamento.

Muitas pessoas acreditam que não podem fazer uma viagem internacional ou que nunca poderão conhecer um determinado destino, pois se limitam ao que elas imaginam que aquilo tudo custa. A verdade é que a maioria das viagens é possível com um bom planejamento. Mas tem que empurrar a preguiça pra lá se quiser economizar e aproveitar do bom e do melhor desta terra!

Com orçamento ilimitado é só pesquisar os roteiros turísticos e escolher os que mais te interessam (pode até ser por foto mesmo), o resto fica fácil, já que a maioria das cidades turísticas tem boas agências de turismo e os valores de deslocamento não são um problema. Mas se quer ficar localizado na melhor parte da cidade, com fácil acesso ao transporte público, cercado de restaurantes com bom custo benefício e ainda pagar um valor consideravelmente baixo, tem que pesquisar!

Uma das dicas iniciais de planejamento é começar por uma planilha bem básica, onde você insere os valores médios previstos por dia com alimentação, transporte, passeios e hospedagem. Ela fica aberta durante toda a pesquisa e vai sendo construída ao longo dos dias.

Com um destino em mente, o segundo passo é fazer uma busca dos voos pelo Google Flights (ou Decolar, Momondo, Kayak), mas aqui mora outra dica: além de observar o valor da passagem, observe também as escalas que aquele voo faz. Pode ser que seja possível fazer um stopover. O stopover é uma parada no meio da viagem, para que o passageiro possa passar um tempo em uma cidade de conexão. Você paga apenas uma passagem, mas conhece dois lugares!
Outro fator muito relevante na viagem é a sua localização de hospedagem. Antes de pesquisar a hospedagem em si, procure saber se no destino vai ser preciso alugar um carro ou se o transporte público funciona bem e atende aos principais pontos turísticos da cidade. Caso seja necessário alugar um carro, você terá mais flexibilidade quanto à localização, sendo possível ficar mais afastado do centro e assim, economizar.

Caso o transporte público te atenda, será imprescindível ficar bem localizado para otimizar o tempo de deslocamento durante o dia e facilitar os passeios da noite, que normalmente envolvem um bom lugar para comer nas redondezas. Em uma rápida pesquisa no google é possível saber o nome dos bairros mais cobiçados. Com esses nomes à mão, recorra ao Booking e Airbnb para achar boas opções.

A dica aqui é dar uma chance para lugares com bom preço e pontuação acima de 7, e ler os comentários das avaliações do pior para o melhor. Muitas vezes você vai ver que as reclamações não são graves e não influenciam no conforto do lugar, são apenas mal entendidos ou mesmo pessoas que votaram errado. Aqui é onde a economia vai mais influenciar no total da sua viagem, escolha com sabedoria.

Destinos escolhidos, passagem e hospedagem orçada, agora é só continuar pra parte boa, escolhendo o que fazer em cada dia de viagem, vendo fotos e roteiros maravilhosos. A última dica de hoje é conferir se naquela cidade existe Groupon, ótimos restaurantes com muito desconto e lembrando sempre de preencher tudo na planilha!
Bon Voyage!