Com milhares de pessoas ao redor do mundo recorrendo às igrejas neste período de pandemia, é inegável o poder de refrigério da alma que ela possui nos tempos de aflição. Essa também foi a constatação do Príncipe William neste último sábado (22) durante a Assembleia Geral da Igreja da Escócia.

LEIA TAMBÉM A NOSSA MATÉRIA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA COMUNHÃO COM DEUS DURANTE A PANDEMIA

“Sei que para muitas pessoas na Escócia e além, a Igreja tem sido um refúgio essencial durante o ano passado, incrivelmente desafiador de pandemia”, declarou o monarca em seu discurso. Durante essa ocasião e outros eventos no país, o duque de Cambridge estará representando a Rainha Elizabeth, comparecendo como Lorde Alto Comissário.

Enquanto falava, William relembrou de um episódio triste em sua vida em que encontrou consolo dentro da igreja. Ao ser informado da morte de sua mãe, a Princesa Diana, em 1997, o duque estava perto de uma congregação na Escócia, na região de Balmoral.

Frequentar os encontros foi fundamental para superar a tragédia que até hoje é lembrada em todo o mundo. “Eu estava em Balmoral quando me disseram que minha mãe havia morrido. Ainda em estado de choque, encontrei refúgio no culto em Crathie Kirk naquela mesma manhã e, nos dias sombrios de tristeza que se seguiram, encontrei conforto e consolo no exterior escocês”, confessou.

A Escócia é considerada uma nação de grande importância pela conexão que existe com o príncipe e sua família. Foi lá que William conheceu a esposa Kate Middleton. “Nem é preciso dizer que a cidade onde você conhece sua futura esposa ocupa um lugar muito especial em seu coração. George, Charlotte e Louis já sabem o quanto a Escócia é querida para nós dois e estão começando a construir suas próprias memórias felizes aqui também”, afirmou ele.

William, que estava acompanhado de Kate, participou da assembleia que marcou o início de atividades para discutir assuntos de cunho social. Além da igreja, a série de visitas inclui reuniões com instituições de caridade e organizações ambientais, sobre saúde mental, falta de moradia e dependência química.

“Enquanto tentamos emergir de um longo período de incerteza e turbulência, estou grato pela chance que terei esta semana de realmente ouvir com humildade e compaixão muitas pessoas na Escócia de todas as esferas da vida, de diferentes tradições e de todas as religiões e de nenhuma”, confirmou o duque.

Diante de tantos desafios que o mundo vem passando, o monarca concluiu a sua fala fazendo questão de citar uma passagem da Bíblia: “Foi sugerido que eu tome Provérbios 19:20 como meu guia: ‘Ouça os conselhos e aceite as instruções, para que possa adquirir sabedoria no futuro.’ E, claro, o próprio Jesus disse isso de forma mais sucinta: ‘Quem tem ouvidos, ouça’”.