Mais do que contribuir com a vida espiritual dos cristãos, a Bíblia também é um aliado na diminuição de sintomas de transtornos psicológicos como depressão e ansiedade. É o que concluiu uma pesquisa realizada pela Sociedade Bíblica Americana (ABS, na sigla em inglês).

O levantamento foi feito a partir de consultas realizadas com homens e mulheres encarcerados da Cadeia Regional de Riverside, na Virgínia. Com os dados, os pesquisadores da ABS decidiram criar um estudo bíblico sobre os traumas causados por essas doenças. O conteúdo seria ministrado em igrejas com a intenção de auxiliar os líderes a lidarem com os impactos emocionais que surgiram com a pandemia.

Tendo em vista que a crise de saúde global fez com que a população se mantivesse reclusa, de março a outubro do ano passado, o número de pessoas que procuraram atendimento psicológico aumentou nos Estados Unidos. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), 31% das visitas emergenciais para saúde mental eram de jovens com 12 a 17 anos.

Leia também a nossa matéria sobre a importância da comunhão com Deus durante a pandemia

Entre os adultos, informações do CDC revelam que a porcentagem deles com algum tipo de transtorno depressivo e sintomas de ansiedade subiu no período entre o verão de 2020 e a primavera de 2021.

A Sociedade Bíblica Americana estima que as consequências emocionais dessa fase devem durar mesmo com o fim da pandemia. “Veremos esse nível de trauma por muitos anos. Não vai simplesmente passar quando todos forem vacinados e todos tiverem permissão para sair”, alertou Nicole Martin, diretora executiva de cura de traumas da ABS.

O projeto de estudo bíblico da ABS pretende fazer com que igrejas estejam prontas para cuidar dessas pessoas traumatizadas com o isolamento social, luto e estresse financeiro. “À medida que os Estados Unidos passam por uma crise de saúde mental, este estudo mostra os benefícios potenciais do cuidado sensível à fé para pessoas traumatizadas. A Bíblia tem se mostrado uma fonte vital para a cura emocional, espiritual, física e mental”, declarou Robert L. Briggs, presidente da ABS.

O programa de estudo bíblico chamado “Curando as feridas do trauma”, aplicado na Cadeia de Riverside, comprovou-se eficaz apontando queda nos sentimentos de ansiedade, depressão e raiva entre os homens e mulheres avaliados.

Foi comprovado também que o grupo apresentou menos pensamentos suicidas e aumento nos sentimentos de perdão, resiliência e compaixão. “Vimos uma redução nos sintomas de estresse pós-traumático, um aumento no bem-estar emocional e uma melhora nas atitudes em relação a Deus e à Bíblia”, disse Johnson, um dos pesquisadores.

Johnson disse ainda que o projeto, apesar de ter sido feito com presos, pode ser aplicado na população em geral. O  “Curando as feridas do trauma”, segundo o pesquisador, não foi programado para as prisões especificamente, ele almeja que esse estudo sobre os traumas da pandemia seja aplicado e contribua para todas as pessoas.

Com informações do Christianity Today