A pandemia fechou as portas de muitas igrejas e acelerou o crescimento de outras. Vivemos um tempo em que os prédios das igrejas crescem, o número de pessoas que se dizem cristãs também cresce, mas ainda assim os cristãos não conseguem exercer um papel de impacto na sociedade.

Por que isso acontece? Onde está o problema? A Palavra de Deus diz algo sobre a ação na sociedade? De que forma, nós cristãos, podemos influenciar nossa cultura e sermos ativos nessa geração?

Para compreender mais sobre o assunto, batemos um papo com o pastor Luis Felipe Pinheiro de Lima, conhecido como pastor Pipe. Ele é o pastor na igreja A Ponte, no bairro Castelo, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

REVISTA CRISTÃ – Qual a importância de ser uma igreja fundamentada na Palavra?

Pastor Pipe – A verdade é que não existe igreja se não existe a Palavra de Deus. É Deus quem se revelou a nós, ele que veio em nossa direção para nos resgatar e redimir, constituindo um povo para si. Estávamos mortos em nossos pecados e delitos, sem esperança e Deus, por sua infinita misericórdia se move em nossa direção.

Deus escolheu se revelar a nós na nossa própria história, na nossa geografia, na nossa língua e intervindo no nosso tempo. Desta forma, a Palavra de Deus pode ser compreendida por nós, pela graça, porque somos imagem de Deus. Fomos criados com atributos comunicáveis para o expressar.

A queda desvirtuou-nos como imagem, pois passamos a querer refletir nossa autonomia de Deus e para construir nossos próprios impérios. Mesmo assim, somos seres inteligíveis, criativos, autoconscientes e por ai vai.

Quando Deus se revela pelos seus atos poderosos e sua Palavra, eu posso compreender e crer, pela sua graça, a partir sua revelação especial dentro da história. Sem a Palavra de Deus, esse movimento de falar e se revelar, não existiria a Igreja!

pastor pipe pregando
Foto: João Paulo Teixeira

RC – Quais os riscos de uma igreja sem bons fundamentos?

Pipe – Quando não temos a Palavra de Deus, as pessoas se convertem a um deus que não é o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo. Criamos um ídolo com o nome de Jesus, um Jesus genérico, portanto uma igreja genérica.

Quando somos uma igreja não fundamentada na Palavra, inserimos um check-list de moralidade e ordens na vida das pessoas, dando a entender que Deus irá nos abençoar se cumprimos aquilo. Por isso temos tantas pessoas evadindo da igreja diante da primeira crise de fé. Essas pessoas já começaram sua jornada na igreja acreditando em discursos ideológicos travestidos da Palavra de Deus, mas aprenderam na verdade uma moralidade religiosa sem transformação do coração.

A igreja sem fundamento tem seus olhos voltados para dentro, para o enchimento da igreja, para o controle de sua membresia, para eventos e não para o discipulado. A igreja pautada na Palavra de Deus é uma igreja que está inserida na missão de Deus dentro da sociedade, não divide o sagrado do profano e busca expressar sua fé de forma simples nas coisas ordinárias da vida.

A fé não é o que digo com a boca, mas as marcas que deixo com meus pés e mãos por onde passo. Muitas vezes confessamos algo que a boca e paramos por ai. Biblicamente isso não pode ser chamado de fé, pois o crer com coração denota mudança de vida, da maneira como vivemos a partir da Palavra de Deus, em Cristo e pelo poder do Espírito Santo.

Segundo o último censo, temos mais de 84% dos brasileiros confessando a fé cristã. Por que então nosso país está afundando em corrupção, imoralidade e religiosidade?

pessoa lendo a Bíblia

RC – Como uma cosmovisão cristã sadia posiciona a igreja melhor na cidade onde ela está?

Pipe – Primeiro precisamos entender que Deus nos criou com o propósito de cultivar a terra, no mandato cultural, espelhando o próprio Deus com o próximo e com a criação. A visão de mundo cristã, coloca toda a nossa vida novamente nessa dinâmica de trabalhar a partir dos propósitos, agora redentivos e restauradores de Deus, em Cristo, para nós e toda criação.

Penso que um problema sério que provocamos quando nos afastamos das Escrituras é que inserimos uma visão muito dualista, oriunda do pensamento grego, onde as pessoas não entendem o propósito divino e santo nas profissões, relações comuns e esferas da sociedade. Logo, as pessoas entendem que o mundo secular e o trabalho se tornam apenas coisas a serem feitas enquanto estamos “nesse” mundo. E a salvação como um lugar que eu vou estar com Deus. Me faz lembrar o filme Wall-e da Disney.

O mundo que somos e seremos salvos é o mundo corrompido pelo pecado, mas toda a criação será restaurada e Cristo, segundo as Escrituras, reinará no novo céu e na nova terra.

Sendo isso, vejo que as pessoas se trancam em prédios religiosos querendo servir a Deus e se esquecem que somos chamados para fora. O prédio não é a casa de Deus, nós somos o templo de Deus como o corpo de Cristo. Nossos auditórios são apenas meios facilitadores da nossa missão de cuidado, formação e evangelização. Precisamos rever isso de maneira prática e não apenas intelectual.

Veja Efésios 2:8-10, que coisa maravilhosa: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. 1 Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos.”

RC – Uma igreja cristã precisa se preocupar com ministérios específicos para atender crianças, idosos e adolescentes, por exemplo?

Pipe – A igreja fundamentada na Palavra de Deus precisa se preocupar em ser uma igreja multigeracional. Tanto na questão de idade quando na questão de maturidade espiritual. A intencionalidade do discipulado bíblico é por meio desse movimento de passar a fé de geração em geração, formando filhos na fé, formando lideranças mais novas e ter essa dinâmica aonde os mais velhos servem os mais novos.

Servir cada geração em seu momento é importante, mas precisamos saber interligar tudo isso em uma só expressão de igreja. A beleza da igreja está nisso. Sabedoria, força e intencionalidade.

pastor pipe pregando
Foto: João Paulo Teixeira

RC – Como uma igreja cristã sólida pode impactar a sociedade?

Pipe – Precisamos nos lembrar dos relatos em todo o livro de Atos. O que mais chamava a atenção da sociedade era o modo como os cristãos da época viviam e Deus ia acrescentando, a partir disso, aqueles que iam sendo salvos.

O lugar do cristão é na sociedade. Quando eu formo um médico, por exemplo, sendo um cristão maduro, que tem o caráter transformado por Deus e tem a competência de compartilhar a sua fé à sua maneira, nós temos alguém florescendo no campo que trabalha.

Eu uso uma frase aqui na igreja que é “Quem mora na igreja, não tem tempo de ser uma”. Quando trancamos os membros dentro da igreja, não permitimos que eles sejam sal e luz e tiramos deles a verdadeira vivência da vida cristã e os impedimos de se darem aos outros.

Ficamos apenas entre nós, querendo atrair pessoas para os cultos e deixar que o pregador faça um apelo no final para elas “aceitarem” Jesus. O que seria de nós se nosso testemunho falasse mais que nossas meras palavras. O maior testemunho no mundo pós-moderno não é o nosso discurso, mas a nossa presença. A presença de Deus em nosso meio e a nossa presença na sociedade. Que Deus nos ajude!

Cabe aos líderes da igreja o ensino cuidadoso para que todos sejam discípulos de Jesus e discipulem para Jesus. Como corpo pastoral, precisamos dar as ferramentas para que os cristãos possam desenvolver a espiritualidade na cidade, servindo as causas de Deus, aos pobres, aos órfãos e as viúvas e possamos reluzir com o amor de Cristo.

Acredito que o que vai chamar a atenção da sociedade nos próximos anos é uma igreja sólida nas Escrituras, voltada para um cuidado em grupos menores e que se expressa na sociedade com atuação na área da sustentabilidade, no social e com a governança mais transparente.