No artigo anterior, apresentei alguns comportamentos esperados do cristão universitário, a fim de fortalecer o testemunho de sua fé em Jesus. São aspectos tão importantes que se forem negligenciados, podem colocar em descrédito a própria pregação do Evangelho.

Apresentei a importância da pontualidade, de tirar boas notas e de ser excelente em tudo no que se refere à vida acadêmica. Neste artigo pretendo abordar mais quatro atitudes que precisam marcar a vida do cristão universitário.

A importância de ter sempre uma linguagem sadia

“Use linguagem sadia, contra a qual nada se possa dizer, para que aqueles que se lhe opõem fiquem envergonhados por não terem nada de mal para dizer a nosso respeito”, (Tito 2:8). Pode parecer irrelevante, mas sua linguagem fala muito do seu compromisso com Cristo. A maneira de falar do cristão mostra que ele tem uma vida diferente.

“Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros”, (Efésios 4:29).
Ter linguagem sadia significa que o crente não participa de conversas indevidas. Ele se afasta de rodas de assuntos impróprios, e isso é inegociável. A linguagem do cidadão do Reino é santa, sadia e sempre abençoadora.

Presença de boas obras

“Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus”, (Mateus 5:16).

Como cristão, esteja sempre pronto a abençoar e servir o próximo, assim como Jesus fez. E faça isso mesmo para aquele que não merece ou que o agride e zomba de sua fé. Apenas um cristão de verdade, cheio do Espírito Santo e reconciliado com Deus consegue retribuir o mal com o bem.

Mansidão e o respeito nos debates

“Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês. Contudo, façam isso com mansidão e respeito”, (I Pedro 3:15 e 16). Universidade é lugar de confronto de ideias. Isso é natural e saudável para toda a sociedade. E o cristão deve fazer isso seguindo valores mais elevados, seja em assuntos acadêmicos, seja na exposição e defesa da fé.

Infelizmente, muitos cristãos entram em debates com ateus como se estivessem numa verdadeira guerra. Apenas um bom cristão consegue se opor com educação e respeito, mesmo sendo afrontado e desrespeitado. O amor e o respeito ao próximo também devem ser a marca em tudo que o cristão faz.

A quarta e última característica que destaco é: não seja um murmurador

“Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus”, (I Tessalonicenses 5.18). O cidadão do Reino enfrenta toda e qualquer situação difícil com confiança e serenidade. Essa confiança é um testemunho de quem sabe verdadeiramente que há um Deus cuidando de nós e que tem total controle sobre todas as coisas.

O cristão é chamado a fazer a diferença, ser sal da terra e luz do mundo. A universidade é hoje um local que precisa urgentemente de verdadeiros cristãos que refletem com sua vida e atitudes os valores e a cultura desse Reino do qual temos alegria de fazer parte.

Não seremos eficazes no evangelismo se nossos colegas e professores não perceberem que de fato somos parte de outro Reino, de outra cultura. Não deixe o mundo te influenciar. Pelo contrário, peça ajuda ao Espírito Santo, faça diferença, começando nos pequenos detalhes, e impacte sua universidade para a glória de Deus.