O Cristão não pode namorar, cristão tem que fazer côrte!” “Cristão só se relaciona para casar!” São muitas as afirmações que algumas pessoas fazem acerca do tema namoro cristão. De fato é um assunto complexo já que a Bíblia, fonte de orientações e sabedoria para o cristão, não fala diretamente sobre o tema. Afinal o namoro não fazia parte da cultura na época dos relatos bíblicos.

Desta forma, como saber o que é permitido? No texto de hoje, queremos fazer uma reflexão de temas abordados na Bíblia que podem dar um panorama sobre o namoro cristão e como decidir sobre ele.

namoro cristão 2

Atualmente, algumas pessoas não têm levado seus relacionamentos muito a sério. Isso porque a temática da liberdade sexual, os relacionamentos online e a rebeldia têm assolado algumas famílias, especialmente entre os adolescentes cristãos. Por causa disso, mais do que nunca, é preciso pensar sobre o tema. Um namoro, seguido de uma decepção amorosa ou uma gravidez indesejada, pode marcar o resto da vida de alguém.

Vamos começar com um exemplo: José e Maria. Eles foram os pais terrenos de Jesus e viveram algo inusitado na época. Maria ficou grávida sem que José a tivesse tocado. Os dois sentiram medo, mesmo considerando o milagre, porque na época a cultura era muito rigorosa e era motivo de muita vergonha o contato sexual antes do casamento. Você pode ver detalhes desta história no Evangelho de Mateus, capítulo 1.

Maria e José eram noivos e nunca haviam se relacionado intimamente. Segundo os registros, era provável que fossem adolescentes quando Maria foi prometida a José. Eles firmaram um compromisso de se guardarem para o matrimônio. O casamento era o ápice para todo casal e era levado a sério.

Na cultura atual é comum encontrar relações desmedidas. A internet traz informações a todo tempo por meio dos smartphones, desta forma, tanto o homem quanto a mulher estão mais expostos a imagens e vídeos que fomentem o apetite sexual. Algumas pessoas, inclusive, iniciam relacionamentos virtuais e escolhem viver sem pudor e limite. Vivemos uma época onde o sexo é visto como ápice em algumas relações e todos estão sujeitos a serem impactados por essa mensagem.

O cristão e o sexo

Vamos falar do tema que mais permeia as discussões sobre namoro. Os pastores que cuidam de adolescentes e jovens sempre reforçam, em seus cultos, o cuidado que os casais devem ter para que durante o namoro as coisas não “esquentem” e o sexo seja antecipado.

Mas por que os cristãos se preocupam tanto com a questão do sexo? Para os cristãos, o sexo é reservado para o casamento, considerado uma aliança feita entre o casal. Na carta aos Coríntios, capítulo 7, versos 1 e 2, lemos: “Quanto aos assuntos sobre os quais vocês escreveram, é bom que o homem não toque em mulher, mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa e cada mulher o seu próprio marido”.

Para evitar a imoralidade, a orientação era a pessoa guardar-se para uma esposa ou marido. Por isso, há o cuidado dos cristãos com o namoro. Para evitar que o casal se perca e não aguarde o casamento para a entrega total.
Na primeira carta aos Coríntios, capítulo 6, verso 18, o apóstolo Paulo reforça: “Fujam da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo”.

Para contextualizar, a imoralidade sexual citada por Paulo não dizia respeito a temas mais polêmicos que encontramos hoje, como relacionamento a três, homossexualidade, luxúria e lascívia. Paulo alertava os cristãos da igreja na época a terem cuidado com o sexo, chamando imoral o sexo fora do casamento. Para os cristãos, o corpo é considerado o templo do Espírito Santo, o depositário da presença de Deus. Por isso, o apóstolo reforça que o sexo errado é pecado contra o próprio corpo.

É com base nessas orientações que é possível encontrar na internet conteúdo sobre namoro cristão santo. As pessoas que escolhem namorar devem manter uma relação santa, uma relação sem sexo para que não pequem contra si, contra o outro e contra Deus.

namoro cristão 3

Ainda na primeira carta aos Coríntios, capítulo 6, agora no verso 12, lemos: “Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine”. Aqui vai uma colocação do apóstolo Paulo interessante. O cristão pode isso ou aquilo? Sim. O cristão pode tudo, mas cabe a ele decidir o que lhe convém fazer. É preciso que o cristão avalie, a partir de seus princípios e de seus valores, o que ele escolhe fazer ou não.

Namoro cristão santo

Aqui vamos trazer algumas dicas de como ter um namoro santo e guardar-se para o casamento:

1 – Sejam amigos: desenvolva uma amizade profunda com a pessoa que escolheu namorar. Se possível, faça isso antes do namoro para se relacionar com a certeza de quem é essa pessoa. A amizade é a melhor forma de saber verdadeiramente se essa pessoa poderá se tornar seu cônjuge.

2 – Não brinque com o outro: não se esqueça de que você está namorando uma pessoa que também foi criada à imagem de Deus. Ela não é um objeto para satisfazer você.

3 – Pratique a honestidade: seja verdadeiro com seu namorado ou sua namorada. Coloque os limites necessários. Fale das suas expectativas. Busque ajuda se as coisas começarem a “esquentar”.

4 – Deus em primeiro lugar: na empolgação do namoro, o casal pode desejar apenas namorar e mais nada. Não se afaste das atividades da igreja. Orem juntos. Estudem a Bíblia juntos. Edifiquem-se!

namoro cristão 4