Milhões de comunidades distantes nunca ouviram o Evangelho de Cristo, por isso, o trabalho missionário se faz cada vez mais necessário em todo o mundo. Para um grupo de cristãos, a pandemia não foi barreira para pregar a Palavra no sul da Ásia.

A “Field Stories of Hope”, uma iniciativa global de missões da E3 Partners, enviou jovens apaixonados pelo chamado que compartilharam o Evangelho para mais de 1.500 vidas que o ouviram pela primeira vez.

As ações da instituição contribuíram para que, além do alimento espiritual, a provisão física também fosse levada às pessoas que passavam por dificuldades sociais nesta região.

Os voluntários, em conjunto com parceiros locais, entregaram mais de 4.000 refeições e outras 300 cestas básicas para os sul-asiáticos. A missão realizada ainda em 2020, quando estourou a crise de saúde mundial, fez com que “muitos experimentassem esperança e amor como nunca antes”. 

As equipes de 50 a 100 pessoas colocam suas próprias vidas em risco para serem as mãos e os pés de Jesus em viagens internacionais. Para que mais voluntários possam se engajar e ver o agir de Deus em toda a Terra, as histórias estão sendo contadas no blog oficial.

“Deus está sempre trabalhando, mesmo em meio a esta pandemia. Ele está fazendo coisas incríveis e queremos compartilhá-las com você”, diz uma mensagem na plataforma.

Vidas transformadas

Dentre as pessoas que ouviram o Evangelho, mais de 600 delas tomaram a decisão de entregar suas vidas a Cristo, informa o blog. Muitas delas estavam famintas e indefesas, então, a abertura inicial para o recebimento da Palavra se deu a partir da contribuição alimentar que chegou com os missionários.

A iniciativa destaca que os parceiros reuniram seus recursos e “compraram arroz e outros alimentos básicos, arregaçaram as mangas e começaram a trabalhar”. Apesar das portas das igrejas estarem fechadas devido à disseminação do vírus, as famílias ajudadas receberam os mantimentos que duraram por até três semanas.

Mais testemunhos de impacto

Outra história contada no blog é a de um trabalhador migrante do sul da Ásia que precisou viajar 1.100 quilômetros até sua aldeia natal. A jornada de Rohit (pseudônimo), aconteceu “para não morrer de fome na cidade”, segundo ele.

O interessante é que, enquanto se dirigia à sua terra, o viajante se dedicava a pregar àqueles que cruzavam o seu caminho. O mesmo aconteceu com sua família e amigos ao encontrá-los no fim da viagem.

Ainda inspirado pelo amor aos perdidos, Rohit começou a incentivar mais pessoas a espalhar a Palavra aos arredores da aldeia. Com os esforços, desde o início da pandemia, 10 novas igrejas domésticas foram plantadas.

Já na América, missionários dos EUA que estavam na Ásia foram obrigados a voltar para suas casas em Oklahoma. Com o vírus em circulação, três famílias precisaram interromper as missões presenciais, mas, para driblar o problema, o grupo investiu no ambiente virtual.

Através de um parceiro na Ásia, estudos bíblicos online foram ministrados e a ação conseguiu plantar “mais igrejas durante a pandemia do que durante os dois anos anteriores”.

Agora, as famílias americanas querem realizar a plantação de igrejas locais em Oklahoma e alcançar mais vidas ali.