Lembro de antigamente já ter visto fotos na internet de praias à noite, com aquela luz azul neon brilhando e pensar: com certeza é montagem. Como designer gráfico, sei que é totalmente possível criar essa ilusão. Mas foi na minha viagem para a Ásia em 2014 que minha opinião mudou.

Ao sul da Tailândia se encontra a ilha de Koh Phi Phi, com certeza uma das ilhas mais famosas do país, pois foi lá que Leonardo Di Caprio eternizou a praia de Maya Bay no filme A Praia. Desde então, turistas de todo o mundo vão conferir o paraíso natural exibido no filme, e não se decepcionam, pois realmente é lindo de se ver. Em uma outra oportunidade vou relatar a aventura que passamos para chegar até essa praia. Hoje, escrevo sobre o passeio de barco que nos levou para um roteiro muito especial.  

Contratamos um tour que ultrapassava o horário convencional e a atração principal seria a vista depois do pôr-do-sol, e que pôr-do-sol meus amigos. Durante o dia, o barco nos levou a várias outras atrações navegando pelo Mar Andaman e me lembro que a última coisa que vimos antes do sol se pôr foi Monkey Beach, uma praia selvagem, cheia de macacos a caça de siris para comer, muito engraçadinho. 

Depois de o sol se pôr de forma majestosa, escureceu tanto que não dava para ver um palmo à frente do nariz. E foi aí que a mágica aconteceu. Ao agitar a água com as mãos, milhares de plânctons bioluminescentes iluminaram a água com um azul fluorescente. Como se fosse uma constelação no mar. A bioluminescência é a capacidade que alguns animais e plantas têm de emitir  luz, é uma reação química ativada pela energia do movimento. Um verdadeiro show da natureza. Que sensação! Como Deus é perfeito na criação. 

Ficamos lá por mais ou menos uma hora, os mais aventureiros se jogaram no mar para nadar e, dessa forma, com mais movimentação, dava para ver ainda mais plânctons brilhando. Eu já sou mais medrosa e não me arrisquei a mergulhar naquelas águas negras e naquele breu. Fiquei observando do barco, com a mãozinha na água pra lá e pra cá (o barco era baixinho). 

Não foi possível registrar essa noite, pois como o barco molhava muito, só levei a câmera Go Pro, que não conseguiu registrar essa maravilha. É bem verdade que, baseado nas outras fotos que já vi, essa não foi a maior manifestação desse fenômeno em termos de quantidade. Existem pessoas que vivem em prol de viajar atrás de grandes manifestações desse plâncton e registrar o evento em fotos. Mas foi maravilhoso e indico a todos em busca de aventuras diferenciadas e que gostam de admirar espetáculos da natureza.

Para terminar, deixo uma pequena lista de alguns outros lugares onde se pode conhecer essas belezinhas: as Ilha Vaadhoo nas Maldivas, as praias da Califórnia nos EUA, Baía do Mosquito em Porto Rico, Padang Bai em Bali, algumas praias da Nova Zelândia, dentre outros. 

Lembre-se, o clima deve estar quente para potencializar a quantidade de brilho na água. 

Abaixo montei uma galeria com mais algumas fotos dessas praias ao redor do mundo.

Divirta-se!

LEIA MINHAS OUTRAS COLUNAS