Considerada a principal descoberta dos últimos 60 anos, a Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA – sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira (16) que encontraram fragmentos de textos bíblicos na cidade da Judéia.

Os manuscritos foram achados em escavação feita na Caverna do Horror, localizada no deserto onde judeus rebeldes se esconderam do Império Romano, há 1.900 anos. Segundo os pesquisadores, a operação tinha alto grau de complexidade porque visava impedir o roubo dos artigos.

Amir Ganor, chefe de Prevenção de Roubo da IAA, revelou que “por anos nós perseguimos saqueadores de antiguidades. Finalmente decidimos evitar os ladrões e tentar alcançar os artefatos antes que eles sejam removidos do solo e das cavernas”.

Os fragmentos de pergaminho fazem parte dos Manuscritos do Mar Morto encontrados nas cavernas de Qumran, há mais de 70 anos. Eles contêm as versões mais antigas da Bíblia Hebraica e textos judaicos da época de Jesus, por esse motivo são os mais significativos na história da arqueologia. 

A descoberta dessa vez ajudou a reconstruir onze linhas de texto incluindo partes de uma tradução de Zacarias 8: 16 e 17 em grego. A passagem de Naum 1: 5 e 6 também foi identificada.

pedaços de um manuscrito antigo

Desde 2017 o Deserto da Judéia tem sido o campo de trabalho dos pesquisadores. A Caverna do Horror possui um difícil acesso, por isso foi necessário o uso de rapel para escavar o local.   

Israel Hasson, diretor da IAA declarou que “o objetivo desta iniciativa nacional é resgatar esses raros e importantes bens patrimoniais das garras dos ladrões”. A preocupação de Hasson se deve ao ótimo estado de conservação em que as antiguidades se encontravam, o que atrai pessoas mal intencionadas. O diretor e sua equipe querem garantir que todos os dados ainda não descobertos sejam recuperados por suas mãos.

A iniciativa aconteceu a partir de uma parceria da Autoridade de Antiguidades de Israel com a Administração Civil na Judéia e Samaria, e financiada pelo Ministério de Assuntos e Patrimônio de Jerusalém. É na cidade onde Cristo fez sua entrada triunfal que a maioria dos rolos está guardada, no Santuário do Livro, parte do Museu de Israel.