O mercado de games já tem um grande alcance mundial e vem crescendo conforme os anos. Prova disso são os dados divulgados por um estudo do NPD Group, uma empresa americana que realiza pesquisas de mercado. De acordo com o NPD, os jogos eletrônicos estão entre as principais atividades diárias dos adolescentes no Brasil.

Cerca de 82% dos jovens e adultos do país, entre 13 e 59 anos, jogam em diversas plataformas como PCs, consoles, dispositivos móveis ou portáteis. Quando levamos em consideração as estatísticas globais, esse número é também bastante expressivo.

Outra pesquisa relacionada ao assunto diz que quase 40% da população mundial, até 2020, se entretinha usando os jogos. São cerca de 3,1 bilhões de pessoas, segundo um estudo divulgado pela empresa DFC Intelligence.

Tendo em vista essa faixa etária extensa de pessoas que são cada vez mais influenciadas por esse tipo de passatempo, considera-se importante a atuação da produção cristã nesse nicho.

Imagine-se vivendo os passos de Jesus, realizando milagres, orando e até expulsando demônios… Consegue? Pois bem, essa é a proposta de um jogo desenvolvido por um estúdio chamado SimulaM.

O “I Am Jesus Christ” (“Eu sou Jesus Cristo“, em português) é um jogo em primeira pessoa do qual o gamer se coloca no lugar de Jesus enquanto realiza mais de 30 milagres.

Anunciado oficialmente em 2019, o “I Am Jesus Christ” é baseado nas passagens do Novo Testamento, convidando o jogador a recriar os momentos desde o nascimento até a ressurreição de Cristo.

Maksym Vysochanskiy, criador do jogo e CEO do estúdio SimulaM, é ucraniano, mas o jogo foi desenvolvido na Polônia que, além de ser uma potência dos games, é um dos países mais católicos do mundo, com cerca de 87% da população.

Vysochanskiy se define simplesmente cristão em uma entrevista à Folha de São Paulo cedida em janeiro deste ano. “Para fazer um jogo desse tipo, você tem que ser um pouco religioso”, declara o CEO. Questionado sobre o motivo de ter criado esse game, Vysochanskiy disse que “existem vários filmes sobre a Bíblia. Eu vejo videogames como uma nova forma de arte, então, por que não fazer um jogo sobre Cristo?”

A distribuição ficará por conta da produtora e editora de jogos chamada Playway. Apesar de ter se passado mais de um ano, o jogo ainda não tem data de lançamento definida. Algumas informações a respeito do seu funcionamento e características estão disponíveis ao público no site da loja Valve:

“Confira se você consegue realizar todos os famosos milagres da Bíblia como Jesus Cristo. Este é um jogo de simulação e você pode tentar salvar o mundo como Ele fez. Você está pronto para lutar contra Satã no deserto, exorcizar demônios e curar pessoas doentes? Ou acalmar a tempestade no mar?”

Ao terminar as fases, versículos bíblicos correspondentes a cada milagre são mostrados aos jogadores. Entre as atrações, o gamer pode interagir com apóstolos, anjos, demônios e pessoas que seguiam Jesus Cristo.

O processo de desenvolvimento do jogo “I am Jesus”

No trailer oficial de “I am Jesus Christ”, é possível ter uma ideia de como é o jogo na plataforma. Nele, Jesus realiza sinais conhecidos como a cura de uma pessoa cega, multiplica peixes, anda sobre as águas e acalma o mar. Por fim, Ele é crucificado ao lado dos ladrões e ressuscita ao terceiro dia.

imagens do jogo I am Jesus
Foto: Divulgação

No canal do YouTube da SimulaM, a empresa decidiu mostrar uma série de vídeos apresentando o processo de desenvolvimento do jogo “I am Jesus Christ”. A cada vlog, aspectos incluídos no projeto e o avanço da produção são anunciados, usando filmagens reais dentro do jogo.

Os desenvolvedores precisaram fazer uma pesquisa minuciosa de visitação e recriação dos locais onde esteve Jesus em Israel. Nos vlogs, o CEO mostrou vários locais que serviram de inspiração para ambientar o game inovador.

Uma parte do primeiro nível se passa em Nazaré e no Kibutz Kinneret, no Vale do Jordão, na Galiléia, onde Jesus foi batizado no Rio Jordão. “Queremos transformar esses lugares dentro do jogo. É por isso que criamos um mapa mental completo, com todas as informações e níveis com mais de 30 personagens diferentes”, diz o CEO em um dos vídeos no YouTube.

A principal dificuldade ao produzir o jogo, segundo o CEO, foi recriar exatamente a cidade de Jerusalém, já que ela foi destruída no ano 70 d.C. Para ser o mais real possível, o design da cidade usou como base a réplica de um mapa da Cidade Velha nos tempos de Jesus.

O objetivo é criar uma experiência tão real a ponto de o jogador “visitar este lugar também”. Além de reproduzir a mesma qualidade da criação dos personagens e suas feições, emoções etc. “Estamos fazendo o nosso melhor para oferecer alta qualidade”, informa Vysochanskiy.

Em alguns momentos o gamer também pode fazer uma oração e ganhar pontos por isso. Maksyim diz que isso serve para “aumentar o poder do Espírito Santo”.

Antes da parceria com a PlayWay, o ucraniano contou à Folha de São Paulo que quando começou a fazer contato com as publicadoras, ele não foi levado a sério. O seu projeto foi recusado por vários designers por “receio de passar por vexame”. No entanto, Vysochanskiy acabou fechando o contrato com uma das maiores empresas de games do país.

Maksym deixou claro as intenções iniciais do jogo. “Desde o início, nós nunca quisemos fazer um jogo de humor. Eu queria algo realista, baseado no que se lê no Novo Testamento”, explicou.

A última atualização para quem está esperando o jogo foi realizada neste mês de abril, mas não houve confirmação de data para a sua disponibilização.