A semana em Israel foi marcada por mais uma boa notícia em relação ao combate da Covid-19. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse na terça-feira (20) que o país se prepara para mais uma campanha de vacinação daqui a seis meses.

Desta vez, crianças também serão incluídas na etapa de imunização que conta com vacinas que virão de novos acordos fechados com as farmacêuticas Pfizer e Moderna.

Netanyahu informou em uma entrevista coletiva que a previsão é que as milhões de doses seriam aprovadas para uso em crianças até a chegada deste período. “Prepare seus ombros… e crianças”, disse ele à imprensa israelense.

A necessidade da terceira dose da vacina é uma indicação do CEO da Pfizer, Albert Bourla, ao ministro e precisaria ser aplicada em até 12 meses após as duas primeiras. Depois da terceira, estima-se que a aplicação precisará ser realizada anualmente para combater as novas variantes do vírus.

A Pfizer assegurou que o imunizante da marca possui 91% de eficácia após seis meses. A quantidade contratada com essa farmacêutica e com a Moderna não foram divulgadas com exatidão.

A mídia local, no entanto, informou que Israel acordou cerca de 18 milhões de doses com as duas empresas americanas, podendo exceder esse total futuramente dependendo da adaptação das variantes. Quase 5 milhões de israelenses, mais da metade de sua população, já foram imunizados com duas doses.

Em relação às crianças, a Pfizer aguarda autorização para usar sua vacina na faixa etária de 12 a 15 anos nos Estados Unidos, após os testes alcançarem 100% de eficácia nessas idades. O pedido foi enviado à Food and Drug Administration nos EUA assim que a fase 3 da Pfizer terminou.

A empresa também seguirá esperando o cronograma preciso de Israel para a vacinação dos menores de 16 anos – o grupo acima dessa idade recebe doses autorizadas para uso emergencial.

Antes mesmo da aprovação para crianças, a Associação Pediátrica Israelense se manifestou pedindo aos pais e médicos de família que não deixassem de vacinar seus filhos quando este momento chegar.

 

Fonte: Com informações do portal The Times Of Israel e Rita News Clube