Para aqueles que amam Israel e querem visitar o país berço do cristianismo e judaísmo, há uma boa notícia. A partir do dia 23 de maio de 2021, Israel voltará a receber turistas estrangeiros por decisão do Ministério da Saúde em conjunto com o do Turismo.

A reabertura acontecerá em etapas e só permitirá o desembarque de pessoas que já estiverem vacinadas contra a Covid-19. O anúncio foi feito oficialmente nesta terça-feira (13).

Após um ano do fechamento devido à pandemia, a reabertura do país, inicialmente, vai permitir um número limitado de visitantes. À medida que a “situação de saúde e andamento do programa” forem avançando, a quantidade de turistas também será ampliada, conforme informado pelas autoridades.

A Ministra do Turismo, Orit Farkash-Hacohen, declarou que este é um primeiro passo muito importante para a indústria do turismo local. “É hora de que a vantagem única de Israel como país seguro e saudável comece a ajudá-lo a se recuperar da crise econômica, e não servir apenas às economias de outros países”, disse Orit.

Para a chefe do ministério, “apenas abrir os céus para o turismo internacional irá realmente reviver a indústria do turismo”. Neste plano, Orit destaca também a inclusão de restaurantes, hotéis, locais turísticos, ônibus e outros estabelecimentos e trabalhadores que procuram sustentar suas famílias. 

“Eu continuarei a trabalhar para a abertura total do turismo a Israel, o que ajudará muito a economia israelense e criará locais de trabalho para muitos israelenses”, finalizou Orit.

Com a intenção de assegurar que o coronavírus não volte a circular com a abertura das fronteiras, o governo exigirá a realização do teste de PCR em todos os turistas antes mesmo que embarquem nos voos para Israel, além da apresentação de um certificado de vacinação.

Por último, no momento do desembarque no Aeroporto Internacional Ben-Gurion, o turista deverá fazer um teste sorológico comprovando a imunização. A respeito das medidas rígidas, o Ministério do Turismo entende que será um processo de adaptação e que o plano será aperfeiçoado nos próximos dias.

“Nesse ínterim, continuarão as discussões com vários países para chegar a acordos de validação do certificado de vacina, de forma a cancelar a necessidade de testes sorológicos”, afirmou o ministro Yuli Edelstein. As autoridades darão preferência à entrada de pequenos grupos pois são mais fáceis de controlar e monitorar enquanto estiverem  no país.