No segundo ano celebrando a Páscoa em meio à pandemia, os fiéis de uma igreja brasileira fizeram um ato de homenagem às vítimas da Covid-19. Durante a encenação da Paixão de Cristo, uma placa com o número total de mortes até essa sexta-feira (2) foi erguida.

Com os escritos “325.559 vidas perdidas”, o gesto foi realizado na região do Vale do Paraíba (SP), em uma basílica. O evento foi transmitido online pelo segundo ano consecutivo e sem a presença de pessoas.

Atualmente, o Brasil possui 328 mil óbitos em decorrência da doença. O aumento dos casos no último mês fizeram com que muitas congregações não se reunissem presencialmente para comemorar uma das datas mais importantes do calendário cristão.

Por causa do decreto, os templos só podem abrir com uma porcentagem menor do que a capacidade total, além do toque de recolher que, na maioria das cidades em lockdown, é das 20h às 5h.

Para não deixar que a data passe em branco, as igrejas estão se adequando novamente para que a ressurreição de Jesus seja lembrada mesmo com a comunhão remota.

 

A Páscoa 2021 em Israel

 

Ao contrário do Brasil, a Páscoa em Israel pode ser realizada presencialmente pelos cristãos. A vacinação ocorreu em massa e de forma rápida no país, o que tornou a ação possível.

Centenas de pessoas de vários locais do mundo se reuniram para refazer o trajeto de Jesus até a cruz. “É como se nós mesmos estivéssemos em um túmulo no ano passado e agora estivéssemos saindo dele”, disse a britânica Angleena Keizer, em entrevista ao G1.

Segundo o Ministério da Saúde israelense, mais da metade da população foi imunizada até o dia 25 de março. As doses usadas são da Pfizer, da farmacêutica BioNTech, e começaram a ser distribuídas em dezembro de 2020 aos cidadãos e residentes a partir dos 16 anos.

O ministro Yuli Edelstein disse que 50,07% da população geral recebeu ambas as doses da vacina e 55,96% a primeira aplicação. Os vacinados são considerados totalmente protegidos uma semana após receberem a segunda dose.

 

FONTE: Com informações do site G1