O Hospital Regional de Planaltina (HRPL)  vai receber, nesta terça-feira (23/3), a doação de mais de 2 mil lençóis — sendo 1.100 hospitalares — e 800 capotes (uma espécie de vestimenta especial para profissionais da saúde) para tratamento da covid-19 na unidade. 

A ação é uma iniciativa dos voluntários do grupo de humanização hospitalar cristão, conhecidos como Doutores de Esperança, projeto social sustentado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia da Asa Sul.

Junto com o material também será entregue aos profissionais da saúde um “kit esperança”, contendo um livro que fala sobre alento e dias melhores e um coração de veludo. Além disso, o grupo vai distribuir cerca de 200 marmitas para atender familiares de pacientes que estão na espera de seus entes queridos.

Como parte da atividade, os Doutores de Esperança também levarão oração, músicas e mensagens de conforto e motivação aos profissionais, pacientes e familiares.

Na última semana, uma ação semelhante foi realizada pela trupe no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), onde mais de 2 mil lençóis foram doados pela instituição.

Doutores de Esperança (linkar “https://www.doutoresdeesperanca.com.br”) é um grupo que, com bom humor atua, junto a crianças, adultos e idosos hospitalizados, seus acompanhantes e profissionais de saúde. A essência do trabalho é a utilização da paródia do palhaço que brinca de ser médico no hospital, tendo como referência a alegria e o lado saudável dos hospitalizados e colaborando para a transformação do ambiente em que se inserem. 

O Doutores de Esperança foi criado em 2013, iniciando suas atividades em 19 de janeiro de 2014 no Hospital Municipal de Pinheiral – RJ. E desde então tem ampliado sua atuação com um total de 11 turmas nas cidades de Volta Redonda, Petrópolis, Barra de Piraí, todas elas no Rio de Janeiro e também Brasília.

A ideia do projeto nasceu a partir do filme Patch Adams, um sonho idealizado pelo criador do projeto, Betão, o Doutor Gentileza, que trouxe para o Doutores de Esperança um tripé humanizador, aonde a palhaçaria trabalha de mãos dadas com a oração e a música. Em Brasília, atualmente, dirigidos pela coordenadora Thaís Trivelato. “A força desse projeto é muito grande”, declara Thaís, responsável por trazer a iniciativa à capital.

Doutores de Esperança fazem parte dos projetos oficiais da ADRA BRASIL, Agência Humanitária da Igreja Adventista do Sétimo Dia, presente em mais de 130 países, uma organização privada sem fins lucrativos e conta com 220 participantes treinados e 50 voluntários externos de música.

Os clowns, coordenadores, fotógrafos, intercessores e demais colaboradores são pessoas que dedicam parte do seu tempo para fazer o bem e que abraçaram a missão do projeto: devolver a alegria a quem está em um lugar nada motivador, e que como heróis, espantam por um instante o foco na dor e apresentam um sorriso em seu lugar.