Uma nota emitida pelo governo nesta quarta-feira (17) autorizou o exercício de atividades religiosas dentro das igrejas em todo o estado. A informação deu fim às dúvidas relacionadas ao tema desde que a Onda Roxa foi declarada. Uma das diretrizes proíbe a realização de eventos públicos e privados.

A fase, que foi criada pelo programa Minas Consciente, pretende diminuir a velocidade de propagação da Covid-19 no estado que enfrenta lotação nos leitos de UTIs. Em vigor desde ontem, a Onda Roxa prevê medidas mais restritivas como o toque de recolher de 20h às 5h, o fechamento de comércio não-essencial, dentre outras regras.

A liberdade de culto é inviolável de acordo com a Constituição Federal. Baseada nisso, a publicação esclareceu que, devido a este amparo, “os cultos religiosos estão permitidos em Minas Gerais”.

O governo enfatizou, porém, a necessidade de observância dos cuidados higiênicos já definidos pela OMS. As congregações devem solicitar aos membros o uso de máscara de proteção, garantir o distanciamento social, além de restringir o número de pessoas presentes nas celebrações.