Carregada de boas intenções, a dúvida sobre a oração por aqueles que já se foram geralmente compreende um anseio do coração de que algo pode ser feito para “ajudar” um ente querido que já faleceu a entrar no céu.

Este é, inclusive, o objetivo do feriado de Finados, que, no Brasil, é uma data comumente respeitada no dia 02 de novembro. Imediatamente subsequente ao Dia de Todos os Santos (1º de novembro), em que a tradição católica relembra aqueles que partiram com os pecados perdoados, Finados seria o dia de pedir clemência por todos os outros que não foram.

Porém, por mais que a intenção seja boa, não encontramos na Bíblia nenhum tipo de lastro para essa atividade. Na verdade, tudo o que a Palavra nos diz indica o contrário: não adianta orarmos por aqueles que já se foram. A salvação é individual e se define em vida.

O versículo de Hebreus 9.27, por exemplo, nos indica o caminho que será tomado por aqueles que já morreram: “E, assim como aos homens está ordenado morrer uma só vez, vindo, depois disso o Juízo […]”. 

Mas, se ainda há o momento do julgamento, ainda há chance para que algo mude e devemos tentar, não? Não é bem assim. Se pensarmos no conceito amplo da coisa, um julgamento inclui advogados, que são os responsáveis pela defesa. 

E quem a Bíblia diz que é nosso advogado junto ao Pai? Jesus. João, em sua primeira carta, nos diz isso. 

“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.” (1 João 2:1)

Mas é importante perceber todo o texto, que também inclui uma argumentação a respeito de guardarmos os mandamentos do Senhor em vida, andando como ele andou (v.6).

Por fim, outro forte indicativo de que orar por quem já morreu é ineficaz está no livro de Lucas, na passagem em que somos apresentados à história do homem rico e de Lázaro. Ali, o próprio Jesus nos apresenta o conceito de que, após a morte, o destino está definido, e que as pessoas têm aos profetas para ouvir sobre a salvação enquanto vivem. 

“Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite”. (Lucas 16:31)

Devemos orar pelos vivos

Isso não quer dizer, porém que você não deva orar, chorar e se compadecer daqueles que ficaram e sofrem. Inclusive, a Palavra também nos incentiva a chorar com os que choram (Romanos 12.15). 

 Finados: Devemos orar por aqueles que já morreram?

Aproveite enquanto as pessoas que você ama estão ao seu redor e abrace-as, beije-as, diga que as ama e, claro, pregue a palavra! 

Se fizer isso, certamente terá a oportunidade de testemunhar muitos milagres do Senhor.