Na palavra de Deus não há nenhuma menção específica a respeito dos termos piercing e tatuagem. Alguns versículos são considerados por uma parcela da liderança evangélica como referência para falar sobre este assunto. Como estes abaixo:

Levítico 19:28: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o SENHOR.” 

I Coríntios 6:19 e 20: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.”

O uso de piercings e tatuagens não é novidade. Eles já fazem parte dos hábitos de muitas civilizações antigas e possuem significados diversos que mudavam a cada época. Alguns significados, inclusive, conectados a ídolos e poderes, o que gera ainda maior rejeição por parte de algumas igrejas.

O piercing é um adorno e tornou-se moda no Brasil há alguns anos, especialmente entre jovens. Cada vez mais novos eles têm colocado o adereço em diversas partes do corpo. Assim acontece com a tatuagem também, que já é comum há mais tempo. No caso da tatuagem, as discussões esquentam pelo fato de serem fixas, sendo retiradas apenas com cobertura de outro desenho, ou através de laser, que deixa uma marca leve no local da tatuagem.

A grande polêmica a respeito do tema é que essas modificações no corpo são frequentemente relacionadas à atitude de agressividade e rebeldia. Como se marcar o corpo desta forma representasse um rompimento com a família e regras tradicionais da sociedade. Filhos com piercing e tatuagens ainda são considerados, pelos mais conservadores, como marginais e desertores. E há empresas que ainda fecham as portas para pessoas que possuam algumas dessas marcas.

Mas como cristãos, e sem uma palavra direcionada para isso, como nos posicionarmos? Aqui vão algumas dicas para uma reflexão mais profunda antes de decidir modificar seu corpo:

Qual a motivação para fazer uma tatuagem ou colocar um piercing?

Algumas vezes somos empurrados a tomar uma decisão pelos amigos ou pela moda. Especialmente se você é jovem, quer ser aceito pela turma, na torcida do seu time ou até mesmo fazer uma declaração de amor. Reflita sobre essa pergunta: será que você não está sendo influenciado por pessoas ou por um momento, a fazer algo que irá lhe marcar para sempre? Momento este que pode passar e você se arrependerá?

Fazer um deles, vai causar algum tipo de mal ao meu corpo?

Um relatório, publicado pela Sociedade Real de Saúde Pública do Reino Unido (RSPCH, na sigla em inglês), apontou que cerca de 18% das pessoas que fizeram tatuagem, perfurações cosméticas, acupuntura ou eletrólise depilatória nos últimos cinco anos apresentaram efeitos colaterais. Enquanto isso, uma em cada 10 podem ter problemas que necessitam de atendimento médico, incluindo infecções, como hepatite, tuberculose, sífilis e HIV, que podem ser provocadas por microrganismos que vivem na pele e entram na corrente sanguínea quando o equipamento perfura o corpo ou por meio de agulhas sem higienização adequada. Sendo assim é uma decisão bem mais complexa do que apenas colocar um brinco ou fazer uma tatuagem. Você está seguro de que não vai te fazer mal?

Se você for menor de idade, seus pais, aprovam ou rejeitam?

Se seus pais rejeitam, vale a pena criar um conflito com eles por este motivo? Essa decisão não poderia ser tomada um pouco mais à frente? Quem sabe a reprovação não veio pela sua idade e falta de consciência pelas escolhas. Talvez ela tenha vindo porque seus pais acreditam que essas modificações podem prejudicar a sua imagem na igreja ou futuro trabalho. Eles estão errados por isso?

Essa escolha prejudicará o testemunho da minha fé?

Alguns escolhem tatuar uma cruz, um leão (fazendo referência ao Leão da Tribo de Judá) ou mesmo um versículo. São representações de sua fé e podem ser uma conexão com pessoas perdidas que também são tatuadas. Se essa é sua motivação, você está somando com o Reino de Deus a partir do ponto que a marca vira um elo, uma ferramenta de comunicação do Evangelho. O importante é você sondar o seu coração e encontrar qual o verdadeiro motivo.
A mesma tatuagem ou um piercing podem criar seu distanciamento das atividades da igreja por vergonha, ou até mesmo por sua liderança não aprovar? Vale a pena esse risco? Outro ponto, se você considera como pecado, você pode se sentir envergonhado e se afastar de Deus por isso? E isso sim é um grande perigo.

jovem tatuada com cara de dúvida - tatuagem é pecado

Por não existir uma palavra específica sobre este tema na Bíblia, vale considerar a colocação de Paulo falando aos irmãos em Corinto: “Tudo me é permitido, mas nem tudo convém” – I Coríntios 6:12. É uma decisão pessoal que deve ser pensada considerando o contexto da escolha e das consequências da mesma. Mas principalmente, como tudo na vida do cristão, é importante você orar e perguntar para o Senhor: será que isso convém? Caso você ainda seja adolescente é fundamental uma orientação dos pais e quem sabe até uma orientação pastoral para que você possa tomar essa decisão. E vale lembrar, essa é uma decisão pessoal, mas que irá mudar seu corpo, e no caso da tatuagem mudará para sempre.

A Bíblia nos orienta a apresentar nosso corpo como sacrifício vivo, santo e aceitável a Deus, um serviço sagrado de forma racional. Portanto, atenção à motivação real que move seu coração a colocar um piercing ou fazer uma tatuagem. Essas marcas, te impedem de estar livre diante de Deus? Eles te constrangem de alguma forma?

Em Provérbios 21:5 lemos: “Todo precipitado seguramente se encaminha para a carência”. Não seja precipitado em se decidir sobre algo tão sério, não vá pelo impulso ou pela empolgação de um desejo. Afinal, essa escolha irá saciar um desejo momentâneo ou eterno? É por falta de reflexão que crescem no Brasil o número de clínicas para remoção de tatuagens por arrependimento de quem fez.

Desta forma, nossa dica é “quer vocês comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”, como em Coríntios 10:31. A melhor forma de não errarmos em uma decisão é refletir e orar sobre ela. Esquadrinhar o coração e compreender os motivos para fazer algo sobre o que você não terá controle de alguma forma.

Se estiver convicto de que é uma boa escolha, procure profissionais do mercado e tome todos os cuidados com a cicatrização.