O Palácio de Buckingham no Reino Unido perdeu uma de suas realezas. Aos 99 anos, o príncipe Philip morreu nesta sexta-feira de causa ainda não informada. 

Philip e a esposa Elizabeth II estavam em quarentena nos últimos tempos devido à Covid-19, e ele até chegou a tomar a vacina contra a doença. O príncipe também havia passado por uma cirurgia do coração em fevereiro.

A notícia foi confirmada por meio de um comunicado oficial do palácio: “É com profunda tristeza que Sua Majestade a Rainha anuncia a morte de seu amado marido, Sua Alteza Real, o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo”.

A nota ainda dizia que ele “faleceu pacificamente esta manhã no Castelo de Windsor”. “Novos anúncios serão feitos no devido tempo. A Família Real se une às pessoas ao redor do mundo em luto por sua perda”, encerrou.

Ele completaria o centésimo aniversário em junho. O velório e enterro será realizado na capela de São Jorge, no castelo que, segundo informações, teria sido a pedido dele mesmo. Por motivos de saúde pública, a cerimônia será fechada para não haver contaminações de coronavírus.

 

A história de Philip

 

Casado com Elizabeth desde 1947, o nome oficial de Philip era Duque de Edimburgo. Quando completaram 50 anos de casamento, em 1997, a esposa fez uma homenagem ao marido dizendo: “Ele tem, simplesmente, sido minha força e permanência todos esses anos”.

Após 69 anos cumprindo seu papel na história da realeza, o príncipe deixou de se apresentar em compromissos oficiais em 2017. Apesar de ser o chefe da família, os protocolos reais previam que a rainha sempre estivesse à frente na vida pública.

O casal é pai do príncipe Charles, da princesa Anne, e dos príncipes Andrew e Edward.