Na edição anterior, escrevemos sobre o que a Palavra de Deus fala sobre a relação do cristão com o dinheiro, e como isso reflete na sua relação com Deus, e principalmente como isso pode atingir diretamente as escolhas de sua vida.
Continuando sobre este tema relevante, vamos falar sobre dívidas. Segundo o Serasa, quase 62 milhões de brasileiros estão inadimplentes, e metade deste montante tem a renda inteira comprometida. Esse resultado é fruto de uma relação equivocada e desequilibrada com o dinheiro.

O dinheiro traz nosso sustento e precisamos dele. Não há nada de errado em ter dinheiro e trabalhar para alcançar metas e sonhos. Precisamos dele para coisas básicas, como alimentação e saúde, mas também para coisas menos básicas, como carro, imóveis, entre outros. O objetivo aqui é trazer uma reflexão sobre o uso do dinheiro, principalmente sobre o seu uso indiscriminado, e assim evitar contar com um dinheiro que não se tem.

Por isso, neste mês, vamos falar sobre dívida. O Serasa elencou 7 principais causas que acarretam a inadimplência dos brasileiros. São eles: aumento do desemprego, diminuição da renda média familiar, compras para terceiros, ausência de educação financeira, falta de controle nos gastos, atrasos de salários e enfermidades. Todos esses problemas podem ser resolvidos com uma preparação, reserva de emergência e ação equilibrada com as finanças.

dívidas bíblia - casal endividado

Uma pesquisa do Instituto Locomotiva em parceria com a Negocia Fácil, um serviço de cobrança, concluiu que cerca de 54,8 milhões de brasileiros não conseguem dormir bem por causa do endividamento. Já um levantamento nacional, feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito e pela Certidão Negativa de Débitos, mostrou que quatro em cada dez inadimplentes têm o hábito de fazer compras totalmente por impulso, mesmo sabendo que seu cenário financeiro é desfavorável.

Esses números nos trazem um alerta para uma dinâmica cultural dos brasileiros a respeito de uma dificuldade que a maioria tem para lidar com dinheiro.

Segundo o dicionário, dever é ter dívidas ou obrigações com alguém, é estar obrigado a cumprir algo com que se comprometeu. A dívida, seja ela de que tamanho for, é uma atitude de pegar algo com a promessa de dar algo em troca e não cumprir com a mesma. Sabemos que muitas vezes fazemos planos e eles não acontecem como esperávamos.

A grande reflexão que devemos trazer é: as promessas que fazemos são mensuráveis dentro da nossa realidade? Essa questão é importante, considerando que boa parte das pessoas que se envolvem com dívidas dão um passo maior do que podem, se comprometendo com algo para o futuro, sobre o qual não temos controle.

Mas o que a Bíblia pode nos ensinar sobre isso? No livro de Provérbios, capítulo 22, versos 26 e 27, lemos: “Não estejas entre os que se comprometem, e entre os que ficam por fiadores de dívidas, pois se não tens com que pagar, deixarias que te tirassem até a tua cama de debaixo de ti?”.

Rei Salomão, autor deste livro bíblico, traz aqui uma orientação para aqueles que se comprometem como fiador, se envolvendo em dívidas que não podem pagar. Essas pessoas fazem promessas já sabendo que não vão arcar com as dívidas. A direção aqui é não agir como as pessoas que fazem isso.

Tomar uma dívida para si, seja própria ou de terceiros, é uma escolha consciente. Mesmo que seja em caso de urgência e necessidade, sabemos que ao pegar emprestado, devemos pagar. Salomão nos exorta a não fazer isso usando o paralelo de que, quando pegamos algo e não devolvemos estamos tirando algo de valor do outro: “deixarias que te tirassem até a tua cama de debaixo de ti?”

Já no livro de Romanos, capítulo 13, versos 7 e 8, lemos “Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra. A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei”.

O apóstolo Paulo, autor deste livro, fala sobre não dever nada a ninguém. Ser uma pessoa de palavra, andar segundo a lei da época, pagar impostos e entregar o que é devido a quem é superior. Aqui no Brasil, seja você autônomo, CLT ou empresário, você precisa pagar impostos ao governo. Eles estão em dia? Pagar esses impostos é uma escolha honrosa de todo cristão.

Em linhas gerais, a Bíblia nos direciona a não fazer dívidas, não fazer compromisso sem a certeza de que podemos cumprir com eles, e caso o empréstimo já exista, seja ele pago como forma de honra e de conduta correta. Uma outra saída interessante é pedir ajuda à igreja. Seu pastor ou mesmo algum irmão que tenha mais habilidade com finanças pode te auxiliar. A dívida pode comprometer sua vida de várias formas. Não se constranja em pedir ajuda. Reconheça seus erros e comece uma nova jornada com seu dinheiro.

Dicas práticas para fugir das dívidas

1. Pesquise todos os textos bíblicos que falem sobre dinheiro e dívidas. Cada um deles traz um ensinamento importante e pode auxiliar na solução de algum problema nessa área que você possa ter se envolvido. A Bíblia é um manual que traz respostas para tudo o que precisamos.

2. Esforça-te em pagar as dívidas que tem. Fazer empréstimo para pagar outro empréstimo não é o melhor caminho. Se preciso for, procure algum organizador financeiro para te auxiliar a sair da situação em que você se encontra.

3. Estude sobre renda extra e reserva de emergência para que você possa se prevenir quando vierem situações inesperadas e você não precise pegar emprestado para resolvê-las.

4. Valorize seu tempo. Ter tempo é ter vida. Se você ocupa todo o seu tempo trabalhando em busca de mais e mais dinheiro para pagar dívidas de aquisições que você não tem tempo para usufruir, algumas vezes até prejudicando sua vida familiar ou ministerial, você está perdendo sua vida focado no que não tem de verdade.