A última quinta-feira do mês de novembro é dia de festa nos Estados Unidos: comidas especiais como peru, pão recheado, purê de batatas, nozes, cranberries e torta de abóbora e de maçã são postas sobre a mesa, paradas são organizadas nas ruas das grandes cidades, famílias se reúnem e toda a nação é estimulada (ou, ao menos, deveria ser) a se lembrar de agradecer a Deus pelas bênçãos recebidas no último ano.

Seja por seu caráter familiar ou pela tradição, esta data é tão importante que algumas pessoas a consideram mais relevante que o Natal ou o Ano Novo. 

Mas, afinal, de onde surgiu essa comemoração? 

História

O termo “Thanksgiving” é uma junção das palavras para “agradecer” e “dar/entregar”, e considera-se que o “Primeiro Dia de Ação de Graças” foi realizado por peregrinos ingleses que celebraram a primeira colheita bem-sucedida nas novas terras coloniais em 1621, na cidade de Plymouth, Massachusetts.

The First Thanksgiving at Plymouth, 1914 – Por Jennie Augusta Brownscombe

Outros países de colonização inglesa, como o Canadá, e a própria Inglaterra, também comemoram o Dia de Ação de Graças. Entretanto, a intensidade e a dedicação variam de local para local. 

No Canadá, ele normalmente é celebrado na 2a segunda-feira de outubro. Uma das razões atribuídas a isso é que, como é um país mais ao norte, o inverno chega mais cedo, e a janela da colheita acontece antes. Entretanto, a origem do “Dia de Ação de Graças Canadense” é incerta.

Dia de Ação de Graças no Brasil? Existe! 

Apesar de não ser feriado, o Brasil tem um “Dia de Ação de Graças” em seu calendário oficial. A data, instituída em 1949 pelo então presidente Gaspar Dutra, foi inspirada pelo ex-embaixador do Brasil em Washington, Joaquim Nabuco, que havia ficado maravilhado com o que havia visto nos Estados Unidos, e é celebrada na quarta quinta-feira de todo mês de novembro.

Entretanto, em uma nação como a nossa, que os cristãos se perguntam se convém celebrar outra data importada da gringa, o Halloween, esta ocasião, recheada de simbolismos que remetem à nossa fé, ainda é praticamente desconhecida.

Insatisfeitos com isso, um grupo de pessoas com diferentes credos e profissões, baseado no Recife (PE), resolveu agir. Foi assim que, há pouco mais de 15 anos, surgiu o Comitê Brasileiro do Movimento de Resgate do Dia Nacional de Ação de Graças. 

Em seu site, a organização declara ter como missão “promover a cultura do agradecimento no Brasil, estimulando a celebração dessa data tão importante, pois acreditamos que ao fortalecermos a cultura do agradecimento, promovemos o bem-estar social, melhoramos os relacionamentos interpessoais e ajudamos na construção de uma sociedade melhor”.

Evento de celebração ao Dia Nacional de Ação de Graças, realizado pelo Comitê em 2012 no Recife, que contou com a participação de 150 mil pessoas

Os cristãos e a gratidão

É verdade que não devemos nos amparar em apenas uma data para sermos gratos. De fato, somos estimulados a realizar ações de graças (1 Timóteo 2:1) e a dar graças em todas as circunstâncias, conforme 1 Tessalonicenses 5:18:

“Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus”.

A Bíblia está repleta de estímulos e exemplos a serem seguidos, no Antigo e no Novo Testamento, que corroboram essa tese. Precisamos aplicá-los e praticar a gratidão na rotina.

Entretanto, entendendo o poder do simbolismo e de como ações conjuntas como celebrações de datas especiais podem impactar uma nação, acrescentar, de verdade, um dia específico para nos lembrarmos de como Deus tem sido bom para conosco em todos os momentos não parece nada mau, não é verdade?

Dia de Ação de Graças - duas famílias orando em uma mesa

A gratidão é (ou deveria ser) uma marca indelével dos seguidores de Cristo, portanto, propomos que todos aproveitem a chance para fazer mais barulho a respeito disso e estimular o próximo a tirar ao menos um dia para agradecer por tudo o que Jesus tem feito por nós.