A Portas Abertas divulgou nesta semana uma importante conquista para os cristãos da Malásia. A partir de agora, os fiéis terão acesso a um dispositivo com a Bíblia falada e louvores em várias línguas nativas. O instituto fez uma parceria com um ministério de produção de áudio e distribuiu os equipamentos gratuitamente.

“Sem esses dispositivos, os cristãos malaios poderiam nunca entender a Palavra de Deus”, disse um representante da parceria. Ele ainda declarou que, antes dessa distribuição, os seguidores de Jesus só tinham acesso às escrituras em sua língua oficial e em inglês. Porém, com a existência de vários dialetos locais, essas versões não contribuíram muito para o entendimento bíblico deles.

A Portas Abertas informou que não existem Bíblias físicas nos idiomas dos cristãos que moram em tribos e aldeias no país. Por isso, a parceria havia enviado os dispositivos inicialmente para os líderes espirituais.

“No início, compramos e distribuímos cerca de 50 unidades para pastores locais e suas congregações, mas depois que o primeiro lote foi distribuído, houve uma alta demanda”, disse o parceiro. Com essa força conjunta, já foram entregues mais de 300 unidades das Bíblias em áudio no país. 

Os malaios são proibidos de compartilhar a Palavra, por isso, a nação ocupa o 46º lugar na Lista Mundial da Perseguição, segundo dados da Portas Abertas divulgados neste ano. O monitoramento é feito pelo governo e por grupos religiosos que forçam os cristãos a negar e esconder a fé, além de impedi-los de terem acesso às escrituras.

A religião que predomina na Malásia é o islamismo, um dos opressores da fé cristã local, principalmente aos muçulmanos que se converteram. Deixar o islã, no país, é ir contra a Constituição e também contra a sociedade em geral – opondo-se aos próprios familiares e vizinhos.