Perseguição e ameaças, esses são os relatos de cristãos fugitivos de um vilarejo em Chhattisgarh, na Índia. Famílias tribais foram condenadas pela aldeia à exclusão e à conversão de volta à religião ancestral.

Dentre os grupos, infelizmente, 10 membros não conseguiram escapar a tempo e foram espancados pelos índios que fizeram o “julgamento”. De acordo com um relatório, as ameaças de morte e o espancamento aconteceram no mês passado, entre os dias 2 e 10 de março.

Entre as ações, inclui-se a cerimônia de “reconversão”, disse Raidhar Nag, de 21 anos, ao veículo de comunicação Morning Star News. O rapaz estava entre os cristãos que fugiram do vilarejo de Chhingur, cidade de Bastar, como informa o The Christian Post.

Raidhar relata ainda outras formas de perseguição: “Eles nos impediram de buscar água no poço da aldeia, de obter a ração gratuita do governo ou mesmo de trabalhar em nossos próprios campos”. Ainda segundo ele, quatro famílias cristãs decidiram se esconder dentro da aldeia e foram pegas. Eles foram agredidos e obrigados a negar a fé em Cristo.

“Eles os levaram e aspergiram um pouco de água à força sobre eles de acordo com a tradição e os fizeram adorar as divindades tribais”, disse Nag sobre a cerimônia que as quatro famílias precisaram se submeter.

Toda a situação em Chhingur começou quando um morador morreu e a tribo se recusou a enterrá-lo porque, antes disso, ele havia pedido que um pastor local orasse por sua cura. A polícia precisou intervir e o homem foi sepultado em outra aldeia.

Outros ataques a cristãos já foram registrados na cidade de Bastar. Cerca de 70 pessoas armadas perseguiram um grupo que orava por um crente na vila de Surguda. Eles queimaram Bíblias, destruíram móveis e feriram pelo menos seis fiéis.

A perseguição em Chhattisgarh tem aumentado desde setembro de 2020. Atualmente, também há uma campanha de radicais hindus para impedir que os povos tribais recebam Jesus, fazendo com que os convertidos não tenham acesso à educação e oportunidades de emprego pelo governo.

No ano passado, a lista do Open Doors World Watch classificou a Índia como o décimo pior país para os seguidores de Jesus. “Desde que o atual partido governante assumiu o poder em 2014, os incidentes contra os cristãos aumentaram, e os radicais hindus costumam atacar os cristãos com pouca ou nenhuma consequência”, observou a organização.

Uma lei vigente no estado há décadas presume que cristãos usam a força para converter os hindus, mas, até o momento, ninguém foi condenado. A maioria dos tribais não se identifica como hindus, no entanto, o censo do país os identifica como praticantes da religião. Essas ações incitam acusações e cerceiam a liberdade religiosa dos cristãos ainda mais na região.

 

Fonte: Com informações do site The Christian Post