Toda criança merece uma chance de sobreviver e, mais do que isso, de viver dignamente em um lar que ame e cuide dela. Este é o pensamento de um casal da Namíbia, país sul-africano, que instalou em sua própria casa uma “caixa de bebês” para abrigar aqueles que seriam abortados ou abandonados.

A intenção de Ronel e Dick Peters era salvar a vida dessas crianças, cuidar delas e direcioná-las para a adoção. Moradores da cidade de Swakopmund, o casal escreveu um cartaz que foi colocado no muro da residência.

“Por favor, não aborte, mate ou jogue fora seu bebê! Coloque seu bebê indesejado com segurança nesta caixa de proteção para bebês. Sem julgamento. Sem acusação. Disponível 24/7. Confidencial e anônimo”, avisava aos vizinhos e demais pedestres que passavam ali.

Sopro de deus 1
Dick Peters durante a instalação da caixa para receber bebês abandonados.

Com a eficácia do projeto criado em abril de 2019, a necessidade deu vida à chamada Fundação Ruach Elohim. O significado especial do nome traduzido do hebraico quer dizer “Respiração de Deus”. A organização hoje está registrada no Ministério da Igualdade de Gênero e Bem-Estar Infantil do governo da Namíbia como um local seguro.

Só nos primeiros meses de 2021, seis crianças já foram encaminhadas para suas novas famílias adotivas. “Decidimos abrir nossa casa para cuidar de bebês indesejados, negligenciados, vulneráveis ​​e abandonados”, disse Ronel, de 46 anos, ao portal Namibian Newspaper.

Em todo o mundo, mais de 42 milhões de bebês foram mortos ainda no ventre de suas mães, sendo uma das principais causas de morte em 2020. Os dados são da Worldometer, uma plataforma online de estatísticas globais. Essas informações mostram a importância de mudar essa realidade.

Até hoje, 19 bebês que esperavam por adoção ou pela reintegração à família foram deixados na casa de Ronel e Dick. “Somos procurados para apoio e aconselhamento por mães desesperadas, solteiras e grávidas que não conseguem cuidar de seus bebês ou que têm uma gravidez indesejada”, informou Ronel.

“Ficamos aliviados por essas mães corajosas não machucarem seus bebês e optarem por deixá-los em um lugar seguro”, finalizou a mulher. 

Ronel encarou a missão com o marido e, quando se mudaram para a atual cidade, deixou seu emprego como representante farmacêutica. Com os relatos chegando à mídia, o desejo se tornou ainda mais latente em seu coração.

Com isso, muitos namibianos começaram a doar roupas e alimentos para a fundação. Além disso, produtos de higiene pessoal e dinheiro estão sendo arrecadados e, recentemente, foi possível contratar quatro cuidadores.

As fotos da instituição mostram um Dick cuidadoso e carinhoso com as crianças. “O amor puro e alegria que eles nos dão é infinito e abundante. Somos muito abençoados por tê-los sob nosso teto e amá-los”, declarou ele.

sopro de Deus
Dick e Ronel Peters já receberam mais de 19 bebês na fundação.

Com os filhos naturais já adultos, o casal dedica o tempo aos pequenos que estão com eles neste momento. “Nossos filhos cresceram com bebês em casa e sempre os acolheram e amaram como se fossem sua própria família. Eles sempre nos apoiaram nesta importante jornada para fazer uma diferença positiva na vida desses bebês”, completou Ronel.