Iniciar um ministério infantil organizado dentro da igreja vai muito além do simples “abrir uma salinha” para as crianças “passarem o tempo” e “não atrapalharem” os pais durante o culto. 

Em Provérbios 22.6, o escritor nos ensina expressamente que devemos educar as crianças no caminho: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”. 

Ensinar estando “no” caminho é sensivelmente diferente de ensinar “o” caminho. No primeiro, estamos juntos na jornada, prontos a ajudar quando houver tropeços e celebrando as alegrias que certamente acontecerão. 

Neste cenário, pensar em prosperidade não é imaginar uma conotação financeira para a obra, mas sim na evolução e no crescimento de um ministério saudável, que cause impacto positivo nas pessoas e na comunidade. 

Para você que compreende isso e sente o chamado de atuar com as crianças ardendo em seu coração, mas ainda não sabe por onde começar, preparamos algumas dicas que esperamos que ajudem no pontapé inicial dos trabalhos. Confira!

Acredite nas crianças. Acredite no trabalho

ministério infantil - garota orando

Parece óbvio, mas o primeiro passo para um ministério infantil saudável e que será próspero no futuro não é definir um bom nome, ou pintar as paredes de uma sala com tinta colorida. É acreditar. 

As crianças não são discípulos em espera para serem acionados no futuro, quando forem adultos. São discípulos em formação, capazes de impactos relevantes já no momento presente. 

É importante que toda a liderança da igreja acredite no potencial imediato das crianças e trabalhe estratégias que privilegiem o desenvolvimento dos pequenos. Afinal, quantas histórias não conhecemos de filhos que, em sua pureza, dizem coisas que ajudam os pais a corrigirem suas rotas?

Escolha um currículo

ministério infantil - criança abraçando uma Bíblia

Com as intenções no lugar certo e bem alinhadas com a liderança, chegou a hora do segundo passo: definir o material que guiará a jornada do ministério.

Um bom currículo te ajuda a alcançar seus objetivos e a ensinar o conteúdo dentro da linguagem adequada para cada faixa etária (crianças se desenvolvem rapidamente de um ano para o outro, lembre-se disso!). 

Sabemos que ser original e criar algo do zero, com a cara de sua igreja/denominação, pode ser muito tentador. Ao mesmo tempo, isso não é fácil, exige muito trabalho e estudo.

Portanto, dependendo da sua capacidade inicial, considere a opção de buscar algo já pronto e que vá ao encontro daquilo que vocês estão buscando como guia.

Invista nos professores constantemente

professora lendo a bíblia para garoto

Quando falamos de investimento nos professores, falamos principalmente de capacitação. Crie oportunidades para que eles estudem e se preparem nas mais diversas frentes: 

• Teológica: 

Se avaliamos a capacidade técnica dos professores das escolas tradicionais, porque não levaríamos isso em conta também na escola bíblica?

• Pedagógica:

Para que compreendam e saibam lidar com as nuances e diferenças de cada faixa etária, aprendendo não apenas o conteúdo, mas também a ensinar.

• Psicológica:

Assim como não são discípulos em espera, as crianças também não são seres humanos em espera. É importante estar sempre se capacitando para compreender e acolher os pequenos das mais diferentes personalidades e backgrounds.

Envolva a família e invista nos pais

uma família lendo a bíblia

A igreja não é a única responsável pelo ensino bíblico dos pequenos. Na verdade, a comunidade é uma parceira dos pais no discipulado das crianças. Eles é que, na verdade, são a peça-chave! Até mesmo por passarem mais tempo com as crianças, são os pais que poderão dar sequência a todo o aprendizado repassado no domingo (ou qualquer outro dia).

O ministério infantil deve ser hábil para, ao mesmo tempo em que cria as possibilidades para otimizar o tempo que a criança está presente na igreja, ensinar aos pais formas de fazer florescer todas as sementes plantadas durante aquele pequeno espaço de tempo do fim de semana.

Um trabalho forte nesta área cria um ambiente propício para mais famílias se achegarem à sua igreja. Afinal, qual mãe e qual pai não quer ver seus filhos sendo ensinados e bem cuidados? Que Jesus abençoe todas as iniciativas nesta área!

• Gostou? Leia também as dicas para estimular o desenvolvimento das crianças em tempos de ensino remoto, dadas pela Sara Carrijo, em sua coluna Desenvolvimento Infantil