No país de maioria praticante do judaísmo, o Evangelho não para de ser pregado. Com as restrições da Covid-19 em Israel, as portas de muitas igrejas permaneceram fechadas, mas os cultos nos lares garantem a comunhão entre os cristãos.

A Congregação Beit Asaph, por exemplo, adotou a estratégia de direcionar  pequenos grupos para que a igreja continue se reunindo e pregando. Ela está localizada na Planície de Sharon, a região mais populosa de Israel, em Netanya, o que é uma grande oportunidade de fazer Jesus mais conhecido.

Ainda em 2020, a Beit Asaph organizou de 10 a 12 pessoas para realizar cultos nas casas. A partir da iniciativa, os pastores Evan Thomas e Lev Guler disseram ter conseguido mais tempo perto dos fiéis e formando outros líderes.

A espécie de célula, como conhecemos aqui no Brasil, possibilita a divisão de tarefas coordenadas pelos grupos, além de gerar um ambiente propício para o compartilhamento de experiências pessoais com Cristo.

Para um dos membros da igreja, Georgiy, as reuniões domésticas foram uma mudança significativa para ele, sua esposa e seus seis filhos. O templo deu lugar às residências e, inicialmente, ele não se sentia muito entusiasmado.

Com a necessidade, o cristão criou gosto e nasceu nele o desejo de aprender mais e se dedicar na expansão do pequeno grupo que lidera em sua casa. Ele ressalta que este momento que está vivendo é de grande crescimento espiritual em toda a Planície de Sharon.

David van Ouwerkerk, que também frequenta a Beit Asaph, se diz impressionado com tudo o que Deus tem feito na região. Segundo ele, o Evangelho vem alcançando muitas pessoas através da estratégia adotada. Assim como Georgiy, ele está engajado na obra e lidera um grupo de jovens adultos. David alega que, por ter menos pessoas reunidas, os participantes se sentem mais confortáveis, gerando momentos de cura interior para eles.

O serviço à sua comunidade através da iniciativa é uma responsabilidade de sua congregação, como diz o pastor Evan Thomas. Ainda que não houvesse a possibilidade de agregar todos em um local só, a comunhão não deixou de existir. Segundo ele, a comunhão foi levada até essas pessoas.

A diminuição das restrições de combate ao Covid-19 em Israel

Atualmente, Israel suspendeu quase todas as medidas contra a Covid-19 tendo em vista que a taxa de infecção diária permanece praticamente zero. Apesar da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados, a expectativa é que essa ordem seja suspensa em breve.

Com isso, os israelenses não precisam mais apresentar o comprovante de vacinação ou o certificado de recuperação chamado de “Passe Verde” para entrar em ambientes públicos.

“Hoje é um dia muito especial”, disse Hezi Levi, Diretor-Geral do Ministério da Saúde de Israel na última terça-feira (25). “Agora estamos abrindo toda a atividade em Israel”, comemorou.

A Terra Santa possui uma das campanhas de vacinação mais bem-sucedidas do mundo. Nos últimos seis meses, mais de 70% da população a partir dos 20 anos foi imunizada, o que o tornou um dos poucos países prontos para retomar grande parte de sua vida pré-pandemia.

Agora, o governo pretende aprovar a vacinação para israelenses entre 12 e 15 anos em breve.