Em tempos de tecnologia avançada, robótica e uso de celular para quase todas as atividades diárias, o imediatismo tornou-se inerente ao estilo de vida da grande maioria da população. Contudo, o corpo humano não evoluiu para este lugar e está sofrendo consequências sérias na tentativa de adaptação dessa nova forma de viver, como aumento de depressão, ansiedade, distúrbios do sono e alimentares, distúrbios comportamentais e até mesmo quanto a forma de se enxergar.

O espelho acompanha a humanidade praticamente desde a sua existência e isso porque procuramos saber quem somos e como somos vistos. Contudo, a imagem refletida nunca foi uma verdade, por ser invertida e, agora, com a selfie vive-se a insatisfação do real que, na verdade, é imaginário. Dismorfismo corporal, entre outras doenças que são relacionadas à forma como a pessoa se vê no espelho, tem causado grandes impactos negativos nas análises psicossomáticas.

O imediatismo abriu espaço para a não aceitação do tempo que o corpo necessita para inflamar e regenerar após um procedimento cirúrgico. É necessário falar mais sobre isso, treinar a mente de forma intencional e estratégica a fim de causar impactos positivos quanto à espera dos resultados.

O imediatismo tornou-se inerente ao estilo de vida da população. Mas o corpo humano, na tentativa de adaptação a essa nova forma de viver, está sofrendo consequências sérias como aumento de depressão, ansiedade, distúrbios do sono e alimentares, distúrbios comportamentais e até mesmo quanto à forma de se enxergar.

Diante de um procedimento cirúrgico procure conversar abertamente com seu cirurgião plástico em consulta prévia e esclareça sobre o tempo de recuperação, inchaço e possíveis sangramentos, além de resultados.
Informar-se com pessoas que já foram submetidas à mesma cirurgia pode ser uma boa estratégia, e o principal: seja verdadeiro com você mesmo. Questione-se! Busque em seu comportamento e em sua mente como está a sua aceitação relacionado ao processo de recuperação.

Seja intencional e não tenha medo das respostas que ouvirá de si mesmo. Encare-as e conte ao seu cirurgião.

Não é obrigatório aceitarmos tudo, contudo é importante entendermos onde estamos em todo o processo e como lidar com ele. Isso provoca contemplação e alegria durante seu período pós-operatório, seja ele recente ou tardio.