Pois é… A chegada do inverno no dia 21 de junho trouxe uma massa fria para todo o Brasil e a região Sul parece que nem faz parte do País, pois lá, neste mês de julho, já até nevou.

E nossos amados e queridos bichinhos, será que eles sentem o mesmo frio que nós, humanos?

A resposta é sim! Principalmente os caninos são bem mais sensíveis à sensação térmica baixa. Temos que ficar atentos aos sinais como tremores pelo corpo, se ele fica muito tempo deitado com as patinhas e rabo encolhidos e às orelhas, focinho e patas frias.

Caso um destes sintomas seja constatado, providencie mais conforto para seu bichinho como colocá-lo para dentro de casa, principalmente em noites frias e chuvosas. Se isso não for possível, faça com que sua caminha fique mais quentinha, colocando um cobertor, por exemplo, e escolhendo um local mais coberto e fechado, livre do vento e respingos de chuva. As roupinhas também são uma ótima opção para estes dias, mas é importante lembrar de deixar as partes íntimas livres.

Com todos estes cuidados, você evitará sofrimentos futuros e gastos financeiros com seu bichinho, pois o frio pode causar no animal resfriados parecidos com os dos humanos. Eles espirram, têm secreções no focinho e olhos e indisposição até mesmo para se alimentarem. Você já deve ter ouvido a frase “tosse de cachorro”, então, você não vai querer ouvi-la vindo do seu bichinho querido, não é mesmo?

Além de tudo isso, o mais sério é que a queda da temperatura corporal pode causar hipotermia e baixar a imunidade, o que pode ser a porta de entrada para uma série de outros problemas, como infecções causadas por vírus e bactérias.

Se o seu cãozinho for da raça que não tem muito pelo, aí sim, você pode se preocupar ainda mais: eles sentem muito mais frio do que os peludinhos e, por isso, o trabalho é dobrado. Outro fator muito importante é evitar a tosa nesta época de frio, pois o pelo protege do frio, isso é fato.

Quanto aos banhos, se é difícil para nós humanos desligar o chuveiro, saindo daquela água quentinha, imagina para eles! Mesmo usando o secador após o banho, a maioria dos animais tendem a ficar úmidos, o que aumenta ainda mais o frio. Mas como não tem como deixá-los mais de três meses sem o banho, o melhor é escolher horários mais quentes, entre 11 e 15 horas, e nunca em dias chuvosos. Existem também os banhos secos. Hoje encontramos ótimos produtos no mercado para esta finalidade. É só escovar o pelo ao contrário e usar os shampoos a seco.

Tomando estes cuidados, você poderá curtir o inverno com seu pet amado sem maiores preocupações.

Abraços e até breve.