Uma análise dos tempos atuais pode deixar muitos cristãos sem perspectivas positivas para a Igreja de Cristo. Ao passo que milhões de congregações migraram para o ambiente digital, quase em sua totalidade, milhões de membros deixaram a frieza espiritual tomar conta durante a pandemia.

Em contrapartida, boa parte deles continua trabalhando e se empenhando na disseminação do Evangelho. E é por causa desses que o Reino de Deus se expandirá, mesmo em épocas adversas.

Shawn Lovejoy, um líder cristão internacional, acredita na tendência de um crescimento exponencial para as igrejas ainda com início em 2021 e 2022. De acordo com o fundador e CEO da CourageToLead, uma instituição de apoio e desenvolvimento de lideranças cristãs, com o fim do isolamento, as pessoas buscarão comunidade e esperança mais do que nunca.

Por esse motivo, as congregações americanas e do mundo inteiro precisam se preparar para essa realidade preenchendo posições-chave na sociedade. Em solo americano, por exemplo, os obstáculos para esse avanço já começaram a aparecer antes mesmo da crise de saúde global ser anunciada.

Em 2019, cerca de 3.000 igrejas foram plantadas no país, enquanto outras 4.500 encerraram as atividades. Essas estimativas são da organização Lifeway Research que mostram um declínio do cristianismo. A análise foi feita a partir de dados coletados em 34 denominações e grupos que representam cerca de 60% de todas as protestantes nos Estados Unidos. 

O motivo para essa queda é a quantidade de pessoas deixando de frequentá-las. Atualmente, menos de 50% dos americanos são membros formais de congregações. O número é o menor dos últimos 80 anos, o que obriga os templos a fecharem suas portas.

“O crescimento da igreja está chegando”

O momento atual, ainda que não seja nada favorável, é o que Deus separou para que as lideranças cristãs se organizem para o que está por vir, explica Shawn Lovejoy à CBN News. O líder destaca alguns pontos que devem ser identificados e corrigidos durante esse período.

Para Lovejoy, as principais áreas que precisam de um reposicionamento urgente das igrejas são as de comunicação, tecnologia e atendimento pastoral online. Neste último caso, segundo ele, muitos pastores desistiram da função por causa do ano que exigiu muito deles.

“Iniciar esse processo agora também evitará que novos membros da equipe fiquem imediatamente sobrecarregados e despreparados para suas novas funções assim que ingressarem”, declarou o líder.

Outro aspecto apontado por ele é a reavaliação da missão, visão e cultura que devem estar bem alinhados entre os ministérios das congregações. Shawn acredita que garantir desde já que a igreja esteja ordenada nesses quesitos é importante para o aperfeiçoamento da equipe de forma saudável. 

“Durante esta época de mudanças, é um ótimo momento para pedir a Deus onde você pode mudar seus esforços e concentrar seu tempo para maximizar seus recursos”, confirma Lovejoy.

“Jesus deseja ver o crescimento da igreja ainda mais do que nós, mas Ele pode graciosamente nos dar tempo para nos prepararmos antes de agir”, conclui.