Se você gosta de história, provavelmente já ouviu falar das batalhas mais sangrentas da humanidade. A Segunda Guerra, a mais cruel delas, ceifou pelo menos dois milhões de vidas. Todavia, outras batalhas também ganharam esse destaque negativo, como a Primeira Guerra Mundial, a Batalha de Wuan e a Batalha de Huai- Huai, que juntas ultrapassam o números de mortos da Segunda Guerra. Em se tratando de duração, a Batalha dos Cem Anos (1337-1453) é considerada por muitos historiadores a mais longa já ocorrida.

Mas, existe uma batalha que não é citada na história. Muitos sequer a conhecem, porém é de longe a mais cruel e duradoura. O campo desta batalha é o próprio homem. Ela dura desde a criação e só terá fim na consumação dos séculos. Nela só existem dois oponentes: a carne e o Espírito. Para descrever esta épica batalha, Paulo cita quais são as armas usadas por cada oponente na incessante busca da vitória. Ele as denomina de obras da carne e fruto do Espírito.

Em homenagem a esta célebre batalha, nas próximas edições, descreverei na forma de poesia, os nove frutos do Espírito citados pelo apóstolo. Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança, a partir de agora, serão suas armas para vencer o seu pior inimigo: você!
Na edição passada, escrevi sobre o primeiro deles: o Amor!
Nesta edição escreverei sobre o segundo: a Alegria.
Aproveite para saborear cada fruto enquanto desfruta dos belos versos a seguir!

ALEGRIA

Alegria não é só um grito de euforia
Um sorriso de canto
Um salto ligeiro
Um olhar sem encanto
Não é só dizer tudo bem
Ter mais que alguém
Conquistar um desejo
Ganhar muito dinheiro
Alegria verdadeira vem de dentro
Está ali todo o tempo
Irradia nossa mente
É sentimento ardente
É sorrir para o mundo
E ver Deus em tudo.