A felicidade é a emoção mais preciosa que a humanidade requer. Ela permite sonhar, sentir e ser, criando sensações de satisfação, plenitude e consciência afortunada de alegria. 

A felicidade tem sido uma busca constante, e muitos passam por circunstâncias diárias sem valorizá-las, por acreditar que são minúsculas, esperando sempre a grandiosidade acontecer e o futuro chegar. Por exemplo, quando destinam toda expectativa e satisfação, somente quando as “sonhadas” férias chegar, ou quando se casar, a faculdade terminar ou mesmo quando se aposentar. Por isso, a felicidade tem como rival a idealização, o mundo fantasioso, o medo e a censura.  A felicidade não é uma sensação eterna, é um estado de êxtase, daqueles que se atingem nos momentos de extremo prazer, no qual nosso cérebro reconhece como positivo, fortalecendo até mesmo nosso sistema imunológico. 

Estar feliz ou triste é um ir e vir e, apesar de difíceis, os processos de infelicidade também funcionam como um momento de amadurecimento, pensar e repensar as atitudes, os projetos, as reações diante das vivências, criando a vivência da emoção de forma apropriada. Sendo esses processos, importantes para nossas adaptações ao real e não somente ao que falta. Ser feliz é estar, perceber, viver e principalmente reconhecer a gratidão, o presente.

Existem várias formas de experienciar a felicidade, caso ainda não tenha se permitido, veja essas dicas: 

• Viver o presente ( aqui e agora); 

• Valorizar os aspectos positivos das situações vividas; 

• Fotografar os momentos que te fazem feliz; 

• Permitir pequenos prazeres diários; 

• Use seus dons, criatividade; 

• Movimente o corpo, com atividade física, dança ou mesmo remexendo o corpo cantarolando; 

• Diminua a timidez; 

• Faça atividades novas; 

• Converse com pessoas diferentes;

• Saia sozinho;

• Use sua roupa preferida;

• Se convide para sair ou saia com os amigos!

Parafraseando o talentoso Tom Jobim, “ A felicidade é como a pluma, que o vento vai levando pelo ar, voa tão leve, mas tem a vida breve e precisa que haja vento sem parar”.