Quando o assunto é o impacto da pandemia na vida das pessoas, a área financeira é uma das mais afetadas. Além das dificuldades que muitos brasileiros já passavam, a crise sanitária agravou a situação fazendo com que 19 milhões passassem fome nos três últimos meses de 2020.

Os dados coletados pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional fizeram com que uma instituição se mobilizasse para arrecadar e distribuir recursos para as famílias com renda comprometida por causa da disseminação da Covid-19.

A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) lançou um programa chamado “Compartilhe Esperança” que deve atender um total de 5.500 famílias.

A agência humanitária que está há 25 anos atuando no Brasil e presente em 130 países, oferece ajuda a milhares de pessoas anualmente. Desta vez, durante dois meses, moradores da Bahia, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Norte, Maranhão, Pará, Pernambuco e Ceará terão assistência garantida.

A partir de um levantamento, a ADRA definiu essas regiões como as mais necessitadas de recursos. Famílias que não estão cadastradas em nenhum programa governamental ou em outras entidades serão priorizadas.

Lares monoparentais, com grávidas ou lactantes, com dependentes idosos ou portadores de doenças crônicas ou necessidades especiais, também serão assistidos pelo programa.

O “Compartilhe Esperança” vai funcionar como uma espécie de auxílio enviado ao representante da família, ele receberá um cartão de crédito vinculado ao CPF com o valor de R$120 durante o período especificado. O dinheiro só pode ser usado para a compra de alimentos, garantindo o uso adequado do recurso.

As campanhas da ADRA acontecem através de atendimento emergencial a crises e catástrofes ao redor do mundo. Esta iniciativa para os brasileiros, por sua vez, garante uma autonomia maior entre os beneficiados. Ao invés de receberem cestas básicas já prontas, as famílias podem escolher os próprios alimentos, de acordo com o gosto e necessidade.

 

Fonte: Com informações da Agência Brasil