Sem mimimi e sem rodeio: a culpa não é da quarentena, nem do feriado prolongado, nem do marido ou da esposa que não faz “dieta” e nem dos inúmeros eventos sociais que você tem. A culpa é única e exclusivamente sua.
Só VOCÊ pode escolher ter hábitos saudáveis ou não. Só VOCÊ pode escolher fazer exercícios ou não.

Muitos dizem que os maiores desafios vêm junto com o final de semana. É nesse período que os convites para churrascos, comemorações e encontros aparecem, e junto com eles, vêem as tentações, correto??

E como lidar com essas diversas influências que insistem em nos tirar do foco?

Como tudo na vida, isso se iniciará pela sua força de vontade. Temos sim, que nos policiar e ficar atentos no que estamos fazendo e como isso irá influenciar meus resultados. Difícil, né? No início, sim! Mas vou dar algumas dicas que vão te ajudar.

1 – Questione-se.

Sempre que você for fazer algo diferente daquilo que está sendo proposto pelo seu personal e nutricionista, pergunte-se: “isso vai me levar ao meu objetivo”? “Quais consequências virão com essa escolha?”. Perguntas como essas nos fazem pensar no que estamos fazendo e ajuda a nos manter no foco.

2 – Lembre-se do seu objetivo principal definido.

Sabe o real motivo de você querer tanto essa mudança de vida? Grave-o com você e o mantenha sempre em lugares visíveis. Muitas pessoas gostam de espalhar bilhetes pela casa com seu objetivo escrito, outras gostam de repeti-lo em toda refeição. O importante é manter seu objetivo presente o tempo todo com você, até que se torne inconsciente e passe a ser uma grande verdade.

3 – Pense na razão.

Você sabe o que quer, mas muitas vezes não conseguimos nos manter no caminho, pois não vinculamos o que queremos, com a razão pela qual aquilo é importante. Lembre-se de responder as perguntas: Por quê? O quê? Por quem?

Essas são minhas dicas pra você, que tem tentado e sempre desiste no meio do caminho. Lembre-se: quando iniciamos um processo de mudança de comportamentos, por diversas vezes nossa mente irá nos levar para comportamentos antigos, que já estão gravados e automatizados em nosso subconsciente. No início, precisamos nos policiar mais, para que, futuramente, esses comportamentos novos se tornem os comportamentos certos para nossa mente.