Ainda que muitos esforços em levar o Evangelho para todas as nações sejam feitos ao longo dos anos, milhares de pessoas morrem diariamente sem entregar suas vidas a Jesus. É o que apontou um relatório desenvolvido pela International Mission Board (IMB) e divulgado no início do mês de maio.

As informações da IMB constataram que 155.473 pessoas morrem por dia sem salvação. Esse número corresponde a, pelo menos, 2 vidas perdidas a cada segundo. Tendo em vista que a população global supera os 7,8 bilhões de habitantes, os trabalhos missionários precisam ser intensificados para alcançar essa quantidade de pessoas.

Segundo o Relatório Estatístico Anual de 2020, “neste século, a necessidade de semear o Evangelho abundantemente, fazer discípulos obedientes e plantar igrejas saudáveis ​​é incomparável”.

“De 1700 a 2000 d.C., 15,9 bilhões de pessoas viveram na Terra. No entanto, estimamos que mais de 24,9 bilhões viverão entre 2000 e 2100 d.C. Isso significa que mais 9 bilhões de pessoas estarão vivas nos próximos cem anos, do que estavam vivas durante os 300 anos anteriores”, diz o documento.

O levantamento usou como base cálculos das Perspectivas da População Mundial para 2020, do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, em parceria com estimativas evangélicas.

Dentre o Grupo de Pessoas Não-Alcançadas (UUPG, na sigla em inglês), a IMB identificou que a maior parte delas se tratava de pessoas “deslocadas à força” (incluindo refugiados). Os UUPGs são os indivíduos que vivem onde menos de 2% da população se reconhece como cristã e a plantação de igrejas é baixa, o que compromete o alcance da Palavra de Deus.

Atualmente, existem 79,8 milhões de pessoas nas condições de “deslocadas” em todo o mundo. Mais da metade delas (45,7 milhões) são de seus próprios países e mais 26,3 milhões são refugiados. “Pessoas deslocadas à força tendem a se reassentar em países mais acessíveis aos missionários, potencialmente abrindo a porta para que esses UUPGs tenham acesso ao Evangelho pela primeira vez”, informa o relatório.

Para essas pessoas, a pregação exige abordagens específicas, principalmente para aqueles que se estabelecem longe das áreas urbanas. “As estratégias de missão estão se ajustando para atingir esses grupos com o Evangelho onde eles se estabeleceram e para mobilizar os crentes existentes dentro dos grupos para engajar seu próprio povo”.

 

Os avanços das missões entre 2019 e 2020

Ainda que as notícias não sejam tão favoráveis, o Relatório Estatístico Anual de 2020 mostra um potencial avanço dos campos de missões se comparados ao ano anterior.

Com as atividades da IMB, que é uma organização missionária filiada à Convenção Batista do Sul (EUA), 18.380 novas igrejas foram plantadas em todo o mundo. Cerca de 144.322 pessoas se converteram ao cristianismo, 86.587 passaram pelas águas de batismo, 127.155 líderes foram treinados e 3.552 estão agora em missões.

Nesse tempo, 769.494 pessoas tiveram a chance de conhecer o Senhor por meio das ações desenvolvidas pela instituição.