Testemunho – Fausto Caetano

Vencendo o preconceito, impossibilidades físicas e dificuldades financeiras, músico mineiro se torna exemplo de superação e ícone da pedagogia vocal baseado na fisiologia da voz.

No final de setembro, dois ícones da música cristã mundial se apresentarão em quatro capitais do Brasil. Em um show intimista, Michel Sweet, vocalista da banda Stryper e Jhon Schitt, vocalista da banca Petra cantarão músicas de suas respectivas bandas, mas de um jeito único para dois roqueiros: ao som de um violão. Fãs de todas as idades e credos aguardam ansiosos pelas apresentações e nós, da Revista Cristã, que já produzimos um show da Banda Stryper e também fizemos uma entrevista inédita com a banda Petra em sua única passagem pelo Brasil, não poderíamos deixar de acompanhar os preparativos para a chegada de Michel e Jhon. Como

O mais incrível é que, como não toca, Jhon Schitt precisará de um parceiro que o acompanhe durante a turnê e qual foi a nossa surpresa ao saber que nosso mais novo colunista, o músico mineiro Fausto Caetano, será o parceiro de John.

Nessa matéria, você conhecerá um pouquinho sobre Fausto Caetano, sua trajetória e como foi o contato com aquele que o influenciou de forma marcante musicalmente. Ainda trazemos uma palavra de Eliel Vieira, da produtora EV7 live, responsável pela visita de Michel Sweet  e John Schitt ao Brasil.

Confira a matéria, o testemunho de Fausto Caetano e entenda como gratas surpresas acontecem.

Fausto Caetano, História, Testemunho e contato com Jhon Schlitt

Sou Fausto Caetano, tenho 31 anos e sou músico ha 18 anos. Tenho experimentado diversas vivências musicais durante este tempo. Aos 13 anos, fui o primeiro de minha casa a  decidir entrar e congregar em uma igreja. Nesta época, o “meio do Rock cristão”, apesar de enfrentar diversos preconceitos, tinha um público muito ativo. Havia eventos onde se podiam ouvir bandas autorais de Rock Cristão 2 a 3 vezes por semana. O primeiro Contato com o gênero foi por meio de um amigo chamado Thiago Cardoso, que quando soube que eu era músico e gostava muito de Rock e levou até minha casa alguns Álbuns do Bride, Guardian, Stryper e o Álbum “No Doubt” do Petra, o qual ele apontou e disse: Não é muito pesado, mas… este é especial.

Comecei por ele, escutando as faixas sem muita atenção. Porém, quando ouvi o Riff da faixa n° 6 “Rigth Place”, parei o que estava fazendo, me sentei na frente do som e escutei a mesma faixa repetidas vezes, até perder a conta. Não tínhamos celulares e internet na época, muito menos computadores para copiar as músicas. Eu sabia que logo teria de devolver os álbuns então, fiz uma cópia em uma fita K7 e escutei com muita atenção todo o tempo que pude.  Descobri algo impar nestas músicas, algo que mudaria minha vida para sempre.
Se passaram alguns anos e a dedicação e o envolvimento com a música aumentava cada dia mais, porém enfrentávamos no país momentos sérios de crise política e financeira. Minha família tinha dívidas e para quitá-las começamos a vender nossos bens. Conseguir um instrumento de qualidade  na época parecia algo impossível. Meu amigo Thiago Cardoso com sua alma muito generosa veio novamente a minha casa com sua guitarra e disse: ”um cara com  um talento igual ao seu não pode ficar sem um instrumento para tocar.  Ele me emprestou sua guitarra por quase um ano, até que meu professor de guitarra chamado   carinhosamente pelos amigos de Jô (Josué – falecido em 2009), me chamou na sala de aula e mandou eu abrir um case um tanto quanto danificado e bem empoeirado que estava no canto, quando eu abri me deparei com um instrumento maravilhoso, que por ironia  estava muito limpo, era uma Guitarra Jackson Dink XL Japonesa, um instrumento com altos padrões de qualidade,  que na época era muito, muito caro. Ele disse que  ela tinha alguns problemas de captação e que ele estava me presenteando. Eu chorei muito de alegria, levei o instrumento para casa,  e meus amados pais sacrificaram algumas economias que restaram da venda de um terreno e mandaram consertar a guitarra. Minha história  a partir de então, incentivado pelos amigos, professores e pela família, em especial minha mãe que era mais presente na época, me entreguei de corpo e alma ao ministério e a música.

Porém algo inesperado aconteceu, comecei a sentir dores nas mãos e não havia nada que fizesse para que elas desaparecessem. Consultamos 12 especialistas sobre o assunto, foram inúmeras seções de fisioterapia sem sucesso, um deles após solicitar exames de sangue específicos  me deu um diagnóstico de reumatismo.  As dores nas mãos eram insuportáveis, o que me levou a não conseguir mais tocar ou sequer abrir uma porta sozinho. Mas a vontade de estudar música não morreu. Tive que encontrar outra forma  e comecei a estudar canto. A única forma que encontrei para continuar. Não tinha talento algum para cantar, mas tinha fé e uma vontade insaciável de música. Fui  estudar canto erudito, pois era o que havia disponível em minha cidade. Acabei descobrindo que havia um lugar pra mim ali. Cantava como segundo baixo e todos adoravam os graves que conseguia fazer. Porém sofria muito preconceito por ser cristão e frequentar a igreja evangélica.  Após quase dois anos decidi entrar para a escola de música do palácio das artes e após uma árdua seleção de cinco dias, fui aprovado em primeiro lugar. Mas acabei novamente ficando infeliz, a falta de orientação adequada nas aulas de canto me levaram a ter sérios problemas de voz e postura, o que desencadeou também problemas emocionais. Me deparei também nesta classe de canto preconceito por ser cristão e gostar de rock. Me vi então obrigado a parar de estudar canto e orientado e não comentar sobre o assunto para supostamente não gerar fofocas na escola de música. Sem tocar e  cantar por um ano, segui escrevendo o que podia apenas utilizado um software de computador e uma caneta para apertar as teclas, pois até digitar era complicado.

Neste período comecei a estudar sobre meu problema, mudei a alimentação, voltei a praticar artes marciais, que até então eu havia sido impedido pelo problema e desmotivado a praticar pela professora do CEFAR. Fui pela primeira vez a uma fonoaudióloga de referência de Belo Horizonte especializada em cantores. Ela me orientou a repensar sobre a técnica de canto que eu estava aprendendo, me deu coragem para questionar meus instrutores e uma forma lógica de pensar sobre o canto, tendo como base a fisiologia da voz.

Em um determinado dia de culto minhas dores nas mãos desapareceram completamente por alguns instantes e depois retornaram. Senti com isso que eu estava no caminho certo e continuei cuidando do meu corpo, fortalecendo minha mente, deixando de lado dogmas do canto e da técnica e me apegando ao que atinha embasamento científico.

Hoje estou curado de todos os problemas, sou cantor lírico e de rock, guitarrista e violonista e para compensar, a caminho de me tornar Mestre em Tae Kowndo. Em minha sala de aula na cidade de Betim já passaram mais de 1000 cantores, muitos procurando ajuda com os mesmos problemas que tive no passado.

Sou bacharel em canto lírico pela Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG a qual levo com carinho quem me apresentou a técnica Alexander e a verdadeira ética da pedagogia vocal, Professora Paula H. Campos. Estudei regência com o grande maestro Carlos Alberto Pinto Fonseca, Violão Clássico e canto na escola de música do Palácio das Artes – CEFAR. Estudei com Jason Stearnes Barítono  Norte Americano e me especializei no canto contemporâneo  com o grande pesquisador Ariel Coelho, que hoje tenho orgulho e a alegria de trabalhar juntamente com ele como professor assiste em seus cursos de formação e drives vocais disponibilizados para profissionais de todo o Brasil.

Me apresentei em Óperas como Macbeth, La Traviata, Tosca no grande teatro do Palácio das Artes, Além de concertos e recitais em teatros importantes do país. Fui convidado como destaque da noite no Troféu Evidência na cidade de Itaúna a qual tenho muito carinho e apreço nos anos de 2012, 2014, e 2016.    Em 2016 pude estudar coach e apresentar meus trabalhos  Propriocepção e sobreposição de memórias musculares na composição de efeitos vocais em Madrid, na Espanha e no mesmo ano, me apresentei juntamente a uma orquestra mineira na cidade de Assis e na embaixada do Brasil em Roma – Itália.

Contato com John Schlitt

Nas palavras de Shakespeare: “Amigos são a família que podemos escolher”. Deus colocou em minha vida amigos que acreditaram em meu talento e dedicação, sempre com o intuito de ajudar os outros. Um destes amigos que um dia esteve comigo na porta de um hotel onde se hospedaram os integrantes da Banda Stryper esperando para tentar conseguir um autógrafo, hoje se tornou um grande produtor de eventos , requisitado no Brasil por artista de todo o mundo. Eliel Vieira, dono da EV7 Live, me fez o convite para enviar um vídeo para John Schlitt, O grande vocalista que me fez  parar de respirar com a Música Rigth Place anos atrás. Após este contato, fui escolhido para acompanhar John Schlitt nesta turnê pelo Brasil. Segundo Eliel Vieira, John disse: “Fiquei impressionado com o Talento do Garoto” e eu sem palavras fiquei muito grato por isso. John é uma pessoa muito simples e de personalidade muito humilde.
Em nossa primeira conversa por telefone, ele me deu a liberdade para ser eu mesmo no que tange a interpretação das músicas e pediu ao produtor Eliel que eu ficasse com ele na frente no palco, para que realizemos este show juntos de verdade. A expectativa é muito grande, (só de imaginar o coração acelera).   A turnê ira percorrer neste ano cinco cidades, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Goiânia e fechando em minha tão amada cidade, Belo Horizonte.
Reflito muito sobre toda a estrada que Deus permitiu que eu percorresse até este momento. Ele prova que quando dá uma bênção aos que estão dispostos a pagar seu preço com empenho e dedicação, dá por completo em todas as áreas.

Hoje, após todas as superações,  Ele me leva de volta ao sonho original, poder estar ao lado de alguém que jamais imaginaria poder estar, fazendo o que mais amo na vida: tocar e cantar simplesmente o bom e velho Rock in Roll para a glória e honra de Deus.

Atualmente, tenho minha escola de música situada no bairro Jardim das Alterosas Betim, faço parte como coach vocal da INNOVARE Clínica Médica e Fonoaudiológica, especializa em cantores na cidade de Belo Horizonte. Sou Pós Graduando em Harmonização e Backing Vocal na UNASP – Centro Cientifico da Voz – SP.

Eliel Vieira.

Meu nome é Eliel Vieira e minha produtora se chama EV7 Live. Realizamos a turnê do Stryper em 2014, onde eles se apresentarão no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Goiânia e Curitiba, e também em Buenos Aires (Argentina). Esse ano, fiz o convite novamente ao Stryper, porém eles estarão de férias.

Além de produtor, também trabalho com traduções de Livros, então me veio a ideia de convidar Michel Sweet  a  fazer o lançamento de sua autobiografia já lançada nos EUA em 2014,  aqui no Brasil.

Casamos então a ideia de uma turnê solo juntamente com o lançamento do livro para que uma coisa ajude a outra por meio da divulgação conjunta e negociamos os direitos Autorais. O livro ficou pronto uma semana antes do começo da turnê, bem aos “45 do segundo tempo”. O show foi organizado de maneira que ele toque músicas do Stryper, de sua carreira solo e também do Boston, que é uma banda que participou recentemente, mas é claro focada mais no Stryper, em formato acústico, violão e voz. É um show “desplugado”, mais intimista, mais “despido”, bem mais simples. Também tive a ideia de trazer o Petra, só que a banda não teve boas recordações das ultimas vezes que veio ao Brasil. Inclusive a banda já não esta fazendo shows nem nos Estados Unidos. Mas o Jhon quis vir, ele gosta muito do Brasil, e me deu a ideia de fazer uma Turnê solo, fazer alguns shows inclusive em Igrejas também. Tive então a ideia de “casar” os dois, juntar os dois vocalistas e fazer um show conjugado. Propus ao Michel e ao Jhon e eles toparam na hora. Essa é uma turnê que nunca foi feita. É a primeira vez que estão fazendo isso em quase 40 anos de carreira. É a primeira vez que eles tocam juntos e vai ser aqui no Brasil, comigo produzindo, é muito bom.

O Michael toca e canta e o Jhon não toca, só canta, por isso, tínhamos a opção de colocar um playback ou contratar um músico para tocar para o Jhon. Conheço o Fausto Caetano há cerca de dez anos, sei que ele é um músico muito competente e fiz a proposta pra ele, que topou na hora. Fizemos uma ligação para o Jhon, apresentei os dois e eles se acertaram. O Jhon ficou bastante impressionado com o talento do menino.

Essa é uma turnê que dificilmente volta ao Brasil porque é muito difícil conciliar a agenda dos dois, que têm projetos paralelos os trabalhos deles nos Estados Unidos, por isso, essas serão apresentações únicas.

Na próxima Edição da Revista Cristã confira a cobertura da turnê de Michel e Jhon.

A partir da próxima edição, também teremos Fausto Caetano nos presenteando com todo o seu conhecimento e sabedoria, assinando nossa Coluna Voz.

Aguardem.

 

Contato para aulas, cursos, palestras, oficinas e workshops:  Procurem no google: “Fausto Caetano Vocal Coach ou nos seguintes canais:contato@faustocaetano.com

(31) 98764-0676, www.faustocaetano.com, Redes Sociais:  fb.com/faustocaetano, Instagram e youtube: Fausto Caetano

Posted in:

8 Comments

  1. Que história linda! Parabéns professor por sua força, superação e fé. É uma honra e uma grande alegria ser sua aluna. Sou fonoaudióloga e também atuo com diversos cantores e encontrei no professor Fausto o apoio que precisava para me sentir mais segura, pois sou solicitada a cantar com meus alunos. Através das técnicas tenho melhorado o alcance vocal, a respiração, minha consciência corporal e vocal e tenho até dormido melhor!!! Gratidão enorme por sua vida professor!! Deus continue te usando na vida de muitas pessoas. Grande abraço

  2. Sou aluno desse grande mestre ,e fiquei muito emocionado com esse testemunho que nos leva a acreditar mais em Deus ,e exercer com mais gratidao os talentos q ele nos concede.
    parabens fausto caetano Deus o abencoe sempre

  3. Ilustríssimo amigo Fausto, é Deus quem sabe de todas as coisas. Cada passo nosso em nossa humilde caminhada; só nos levou pra mais perto da vontade de Deus. Fomos e somos instrumentos dele.
    Continue brilhando e sonhando amigo.

  4. Sou amigo de longa data do Fausto,sempre empenhado nos estudos da arte ( música),exímio guitarrista,grande músico,grande amigo,ser humano de grande coração. Cristão de fato,Deus o abençoe e alçe voos mais altos

  5. Parabéns Fausto! Excelente músico, cantor e professor um exemplo para seus alunos e o que me deixa mais feliz e que sou prova viva disso kkk espero muito continuar sendo sua aluna até quando Deus quiser e que ele te abençoe e dê a você muito mais outras vitórias pra conquista em sua carreira ! Obrigada ! Deus te abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *