A verdadeira Adoração (Parte 1)

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade”, (João 4:23-24).

Nos versículos citados acima, o Apóstolo João narra o encontro de Jesus com a mulher Samaritana, que após toda conversa teve sua sede espiritual saciada e sua vida transformada.

Este episódio foi um marco na história da Adoração. Antes havia um lugar determinado para se adorar, todavia a partir daquele momento Jesus deixou claro que não importava o lugar, nem mesmo a nacionalidade de uma pessoa, desde que esta pessoa se tornasse um verdadeiro adorador e que O adorasse em espírito e em verdade.

Não há mais limites para adorar!!! Aleluia. O véu do Templo que separava o povo de Deus de entrar no Santo dos Santos, quando Jesus morreu na cruz do calvário, este mesmo véu se rasgou de alto a baixo. “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo
Mateus 27:51”. Não há mais separação, hoje podemos entrar na presença de Deus com ousadia e confiança pelo sangue de Jesus (Hebreus 10: 19-23).

Existe um grupo de pessoas difíceis de serem encontrados, principalmente nos dias de hoje, ao qual Deus está procurando. Estes são os Verdadeiros adoradores.

Se Deus está à procura dos Verdadeiros, entendemos então que existem os falsos. Esta palavra nos adverte a respeito de qual tem sido realmente nossa motivação ao adorarmos o Pai.

Muitos adoram por obrigação, por religião, talvez por tradição ou costume, muitas vezes para se auto promoverem, enfim, são tantos motivos que levam as pessoas a adorar a Deus, mas temos que estar atentos a motivação correta e que verdadeiramente agrada o Senhor.

A razão pelo qual adoramos a Deus, não deve ser as bênçãos e vitórias que esperamos receber, tampouco porque estamos felizes e tudo vai bem. Não! Adoramos a Deus porque Ele é Deus e Senhor, nós O adoramos por quem Ele é e não apenas por tudo que Ele faz.

As formas de adorar são pessoais. Cada adorador se expressa de acordo com sua própria personalidade. Uns choram, outros riem, uns dançam, outros se prostram, o importante é que o Espírito Santo tenha liberdade de ação e que seja tudo com ordem e decência em temor ao Senhor.

Ainda existem polêmicas quanto a este assunto, principalmente quando envolve danças, palmas, ritmos musicais; no entanto devemos nos ater a palavra de Deus, que nos dá total liberdade em Cristo Jesus para usarmos nosso corpo, dons e talentos para glorificarmos a Ele. “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” I Coríntios 10:31. Podemos dançar, pular, bater palmas, curtir todos os ritmos, porém lembrando sempre de I Coríntios 10.23: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.

Quando dançamos no espírito é sinal que todo nosso corpo se rendeu a Deus numa explosão de adoração, quando aplaudimos a Deus, permitimos que o som dos nossos aplausos permaneça perpetuamente nas regiões celestiais, ecoando gratidão ao nosso Deus e Pai, fazendo com que Satanás escute que as nossas palmas são unicamente para adorar a Deus!

Quando falamos em ritmos musicais, instrumentos; não estamos entrando no mérito das composições. A Bíblia diz: Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Tiago 3:10-11. Verifique se a letra da música é uma poesia inspirada pelo Espírito Santo e se glorifica a Deus, para que você não venha ouvir e cantar louvores a Satanás.

Continuamos na próxima edição amados, Deus abençoe!!!

 

Flávia Raquel

Pastora, Cantora evangélica, Compositora e Escritora

Líder do Ministério Aplausos ao Rei

www.flaviaraquel.com

Contatos e Convites: (31) 9777-4141 / 8849-5948 / 9492-3992/ 3049-1717

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *